Praia de Ipanema - Rio de Janeiro - RJ

Foto: Paulo Carvalho

Segue firme e forte o evento marcado em protesto contra a criminalização do topless no Rio. A página oficial no Facebook já contabiliza quase 8 mil presenças confirmadas para o polêmico “toplessaço“, previsto para o dia 21 de dezembro, entre 10h e 19h, na Praia de Ipanema. Ana Rios, umas das organizadoras do evento, informou hoje que haverá um ponto de encontro para que as “meninas que estavam com “medo” de possíveis abusos e violências, possam estar mais seguras!”. Haverá uma comissão de segurança, apoio da OAB, além de distribuição de apitos.

Desde o dia 2/12, data da publicação, o encontro, inicialmente divulgado pela atriz e produtora de teatro Ana Rios e pela estudante Bruna Oliveira, ambas de 23 anos, causa discussão nas redes sociais. Há quem seja contra e a favor dos seios à mostra nas praias cariocas. A prática é considerada crime de ato obsceno e prevê pena estipulada entre três meses e um ano de prisão ou multa.

De acordo com o jornal O Globo, Ana é engajada em movimentos sociais e foi alvo de “preconceito” ao circular de sutiã na Marcha das Vadias, que aconteceu durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio, em julho deste ano. “Mas o estopim para o movimento sair às ruas foi o episódio que envolveu a atriz Cristina Flores, que tirou a blusa para fazer fotos para divulgar uma peça de teatro. O episódio aconteceu na Praia do Arpoador, no dia 14 do M~es passado. Os atores Cristina Flores e Álamo Facó posavam para a campanha de divulgação da peça “Cosmocartas”, estrelada pelos dois. O sol se punha, havia pouca gente na areia. Bastou que ela tirasse a blusa para uma foto para o tempo fechar. — Do nada, vieram três policiais, mais do que um por seio. O que falou conosco parecia assustado. Disse que havia crianças e famílias ali, e que o que eu estava fazendo era obsceno. Fiquei muito constrangida, me senti pega num delito — conta Cristina, que tem 37 anos, não costuma ir à praia e nunca havia feito topless.”

“- Não vamos levar megafones e pedir para as pessoas tirarem as blusas. Queremos apenas o respeito. Muitos homens querem participar e, em solidariedade ao movimento, vão vestir a parte de cima dos nossos biquínis – conta Ana, que irá acompanhada da mãe, de 52 anos, e da avó, de 73 anos.”

Texto de divulgação do “Toplessaço”:
“Só em uma cidade machista e violenta como a que vivemos o topless pode ser caso de polícia!
Pelo fim da criminalizarão dos nossos corpos, das formas femininas.
O atentado ao pudor nas praias, são muitos outros. Pela naturalização dos corpos!
Pelo fim da repressão policial e governamental dos nossos corpos..
Vamos tirar o biquini!!

Mulheres, homens, crianças, idosos e todos nós.. Juntem-se em um único topless! Muitos homens manifestarão sua solidariedade usando a parte de cima de biquinis, ou pintando seus seios, qualquer apoio visual é mais do que bem vindo! usem a imaginação…

O ato inicialmente foi marcado para acontecer de forma descentralizada na praia de Ipanema, mas por segurança estamos marcando um “ponto de encontro”, este não impede que aonde você estiver, faça seu topless… Multiplicações em outras praias do rio, do brasil e do mundo, são muito bem vindas!!!”

Mais informações na página do evento no Facebook!

Leia também: Diogo Nogueira e Monobloco animam o Parque Madureira 

Anúncios