Foto: Washington Passato

Foto: Washington Passato

O show promovido pelo Sesc Madureira acontece neste sábado, dia 18 de janeiro, a partir das 20h, no Parque Madureira. A sambista conhecida como madrinha do samba, por ter revelado nomes de artistas como Arlindo Cruz, Jorge Aragão e Zeca Pagodinho, cantará sucessos da carreira, incluindo os do mais recente CD, “Nosso Samba Tá na Rua” (Andança/EMI Music), o 33º da sua carreira, vencedor do Grammy Latino de 2012.

Lançado em 2011, o álbum com canções inéditas possui composições de grandes nomes do samba, como “Tambor” (Almir Guineto/Adalto Magalha/Daniel Oliveira), “Samba mestiço” (Ciraninho/Rafael dos Santos/Leandro Fregonesi), “Palavras malditas” (Nelson Cavaquinho/Guilherme de Brito), “Se vira” (Arlindo Cruz/Marquinho PQD), além da faixa-título, de Roberto Lopes, Alamir, Canário e Nilo Penetra.

A mangueirense retomou a agenda de shows em setembro do ano passado, após um período de um ano e um mês internada. Durante entrevista ao programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, em agosto do ano passado, Beth comentou o ocorrido. Em 2010, ela começou a sentir dores na perna, que foram diagnosticadas como artrose. Passou por uma cirurgia e precisou colocar doze parafusos no osso do fêmur, entretanto o procedimento não foi bem sucedido, o que a fez retornar ao hospital. Desta vez, mais dez parafusos foram colocados no osso do fêmur da cantora. Os parafusos devem ser retirados após determinado período, em face do perigo de infecção, Beth preferiu aguardar no hospital para retirá-los. Como se não bastasse, durante a internação, ela precisou ficar uma semana no CTI (Centro de Tratamento Intensivo). “Isso foi uma consequência. Você tem que tomar três antibióticos na veia, você tem que botar um cateter. Eu botei e esse cateter infeccionou. Infeccionou meu pulmão, virou água, eu não tinha ar para falar “a”.

Ainda em entrevista à Fátima Bernardes, apresentadora do programa, Beth atribuiu sua recuperação à equipe médica e às visitas que recebeu diariamente, entre elas as de amigos, parentes, músicos, compositores e artistas conhecidos como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Almir Guineto. Eu me senti a rainha da cocada preta, disse.

Beth comentou que seu quarto vivia em festa. Teve até aniversário comemorado no hospital, com direito a feijoada e muito samba no restaurante dos médicos. Nem parecia hospital, mas, de vez em quando, a enfermeira chegava, mas o pessoal em volta, os pacientes gostavam também, lembrou.

Quer prestigiar a madrinha do samba? Fique atento à programação a seguir:

Show de Beth Carvalho no Parque Madureira
Data: Dia 18/01, às 20h
Local: Parque Madureira: Rua Soares Caldeira, 115 – Madureira – Informações: 3350- 7744
Classificação: livre

Anúncios