Acesso gratuito em agosto e às terças de 2018 no espaço voltado para inovação e empreendedorismo |

Foto: Paula Johas

A exposição “Transformação”, que fica em cartaz até dezembro deste ano, marca a primeira atividade cultural da Casa Firjan, espaço voltado para inovação e empreendedorismo inaugurado no dia 3 de agosto, em Botafogo, na Zona Sul carioca. A exposição apresenta a história da indústria e do empreendedorismo no Rio de Janeiro e no Brasil e seu poder de transformação ao longo dos anos. Em meio a fotografias, painéis digitais, esculturas e atividades interativas, o público é convidado a fazer um passeio pelo desenvolvimento da indústria e do mercado de trabalho brasileiro, incluindo a trajetória de seus principais empreendedores e a introdução de novas tecnologias, como Blockchain (rede de dados) e inteligência artificial.

A mostra acontece de terça a sexta-feira, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 17h. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (estudantes, público acima de 60 anos e moradores de Botafogo). A entrada é gratuita durante todo o mês de agosto e todas as terças-feiras do ano, além de gratuidade para professores e guias de turismo.

A programação cultural tem a missão de abrir um diálogo constante com a sociedade. A exposição “Transformação” permite que o visitante entre em contato com o passado, o presente e o futuro da indústria e do empreendedorismo, sendo levado a refletir sobre os desafios da nova economia e do mercado de trabalho. “O mundo está se transformando muito rapidamente, por isso a importância de um espaço que ofereça educação, cursos, palestras, workshops, projetos de inovação e também atividades culturais que engajem as pessoas à nossa proposta”, explica o gerente da Casa Firjan, Gabriel Pinto. “Quais serão as profissões do futuro? Quais serão as áreas de conhecimento determinantes? Quais serão as novas capacidades exigidas? São provocações que fazemos na Casa Firjan e também em nossa primeira exposição”, conclui Gabriel.

Exposição “Transformação”
Local: Casa Firjan – Rua Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo
Período: até dezembro de 2018 / terça a sexta-feira, das 10h às 20h / sábado, das 10h às 17h / domingo e segunda: exposição fechada para visitação
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (estudantes, público acima de 60 anos e moradores de Botafogo) / Entrada gratuita durante todo o mês de agosto e todas as terças-feiras do ano / Gratuidade para professores e guias de turismo

Clique em “leia mais” ou em “View full article” e saiba mais sobre as três mostras que integram a exposição.

Foto: Paula Johas

Assinada pela diretora de arte Liana Brazil, a exposição é dividida em três mostras: “Conexões”, que traz uma homenagem aos profissionais de diversos setores da indústria; “Pioneiros”, sobre os primeiros grandes empreendedores do Brasil; e “Materialidade”, em que artistas premiados criaram obras originais inspiradas nas matérias-primas e processos industriais.

Mostra “Conexões” –  A exposição começa pela mostra Conexões, instalada no novo prédio da Firjan SENAI e que se expande até os jardins da casa. É dividida em três partes: “Identidades”, “Convergência” e “Horizontes”, que refletem sobre o passado, o presente e o futuro da indústria e como ela se redefine para continuar transformando, inspirada em mudanças de comportamento e em novos modelos de trabalho.

“Identidades” mostra o profissional de antes e de agora no centro da linha narrativa. Nesse ambiente estão expostos dezenas de retratos de profissionais em seus ambientes de trabalho.  O espaço “Convergência” fala sobre o presente e sobre ideias que estão transformando o mercado. Conta com vídeos criados a partir do depoimento de 20 empreendedores representando cases contemporâneos que ilustram o processo de reposicionamento da indústria diante dos consumidores e do meio-ambiente. Entre os vídeos, representantes de marcas como Praya, Brownie do Luiz, Taschen, Osklen, Gafisa, Lev e Enel.

O futuro está representado no espaço “Horizontes”. Um túnel foi construído para mostrar os horizontes possíveis: as novas tecnologias e os novos modelos de negócios e de trabalho que irão afetar o modo como viveremos no futuro. Renda básica universal, criatividade, Blockchain e Big Data são assuntos abordados. Neste espaço, o visitante terá acesso a um jogo interativo para simular as profissões do futuro. Entre elas, Juiz de Inteligência Artificial, Chefe de Alimentos Sintéticos, Minerador de Asteróides, Ressuscitador de espécies extintas, entre outros.

Inteligência Artificial – Ainda no espaço “Horizontes”, destaque para IARA, a Inteligência Artificial da Casa Firjan. A interação se dará por voz e IARA responderá perguntas dos visitantes sobre temas relacionados ao futuro. “IARA fala não só sobre tecnologia, mas também sobre questões humanas. Fala sobre a convivência do humano com a máquina, sobre a transformação nos modelos de trabalho e sobre as mudanças de comportamento. Ela faz uma autoanálise de seu papel no futuro próximo”, diz a diretora criativa do projeto e cofundadora da SuperUber, Liana Brazil.

Mostra “Pioneiros” – A segunda parte da exposição “Transformação” retrata os pioneiros da indústria nacional e apresenta biografias, as áreas de atuação e o impacto do empreendedorismo de nomes como Barão de Mauá, Família Guinle, José Antônio Granado, Henrique Lage, Irineu Marinho, Guilherme da Silveira, Fred Figner, Percival Farquhar, Eduardo Pederneiras, Antônio Guedes Muniz e Família Gelli. Uma extensa pesquisa iconográfica foi realizada e o resultado será apresentado junto com fotos de família e objetos. Esta parte da exposição, que será permanente, retrata também a história do Palacete que agora faz parte da Casa Firjan.

Mostra “Materialidade” – A indústria transforma, a arte ressignifica. Na mostra “Materialidade”, sob a curadoria de Marcello Dantas, cinco artistas visuais, com vínculos com o Rio de Janeiro, usam a linguagem da iconografia e da materialidade industrial em obras que representam a transformação. Eles expõem esculturas e fotografias nos jardins e na parte interna das casas geminadas, onde funciona o espaço Firjan SESI. Fazem parte da mostra os artistas Túlio Pinto, Gustavo Prado, Adrianna Eu, Raul Mourão e Cássio Vasconcellos. Parte das obras ficará de legado para a Casa Firjan.

Casa Firjan, um legado para o Rio
Como um centro de inovação e empreendedorismo, a Casa Firjan integra uma programação de palestras, laboratórios de tendências e cursos a um ambiente de debate e elaboração de políticas públicas, que contempla ainda uma programação de atividades culturais. A Casa Firjan tem um modelo de atuação diversificado com o objetivo único de refletir, criar e entregar soluções para os desafios da nova economia.

Em um terreno de 10 mil m², na rua Guilhermina Guinle, a Casa Firjan abriga um novo prédio, de arquitetura contemporânea e premiada, e um patrimônio histórico restaurado, que inclui uma casa principal e duas casas geminadas construídas no início do século XX. A expectativa é receber 50 mil visitantes até dezembro deste ano.

Anúncios