Tag Archive: Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro


| “As Histórias que Inventamos Sobre Nós” celebra 20 anos da Esther Weitzman Companhia de Dança |

Foto: reprodução internet

A fim de dar boas-vindas ao semestre que se inicia, a Esther Weitzman Companhia de Dança apresenta ensaios abertos do espetáculo “As Histórias que Inventamos Sobre Nós“, que marca a celebração de 20 anos de sua trajetória. As apresentações acontecerão no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro, na Tijuca, no dia 24 de fevereiro (domingo), às 17h, e no Teatro Odylo Costa Filho, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, no Maracanã, no dia 28 de fevereiro (quinta-feira), às 19h.

Ao longo do tempo, a companhia carioca desenvolveu um projeto de linguagem estética contemporânea, com ações continuadas de pesquisa, formação e difusão,; tendo sido contemplada com diversos prêmios e excelentes críticas na imprensa especializada.

“Comemorar esses 20 anos da Companhia significa algo que vai além das escritas coreográficas e do repertório. Eu sinto a dança como uma experiência poética do corpo através do movimento, do silêncio, da música, da palavra, da imagem. Um acontecimento que nos atravessa e nos perpetua”, afirma a coreógrafa Esther Weitzman.

As apresentações têm apoio cultural da Secretaria Municipal de Cultura e da Divisão de Teatro/DECULT/SR-3 / UERJ. A *estreia do espetáculo acontecerá no dia 21 de março, no Teatro Carlos Gomes, no Centro do Rio de Janeiro.

Ensaio Aberto do Espetáculo As Histórias que Inventamos Sobre Nós
Locais: Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro – Rua José Higino, 115 – Tijuca / Teatro Odylo Costa Filho – UERJ – Rua São Francisco Xavier, 524 – Campus UERJ Maracanã (próximo às estações Maracanã do metrô e SuperVia) – Rio de Janeiro/RJ
Datas: dias 24/02 (domingo) e 28/02 (quinta-feira)
Horários: 17h e 19h
Classificação: livre
– Acessibilidade para pessoas com deficiência
– Haverá emissão de comprovante de participação em atividades complementares/acadêmico-científico-culturais
*Estreia não terá entrada franca

 

Anúncios
| Performance “Tempestuosa Depressagem” dialoga com vivências subjetivas do ser humano |

Foto divulgação

O Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro apresenta, no dia 7 de abril, às 19h30, a “Tempestuosa Depressagem“. A  performance artística retrata as nuances e desdobramentos da síndrome do pânico e da depressão em mulheres negras com foco na dificuldade que elas têm de assumir e admitir as subjetividades da saúde mental.
“A depressão, o mal do século XXI, atinge todas as faixas populacionais, porém por conta de um racismo histórico e estrutural, estas subjetividades humanas foram negadas à população negra. Na performance, para além das próprias experiências corporais e psicológicas de quando foi acometida pela síndrome do pânico, a curadora e idealizadora do projeto, Flavia Souza, trará, através de uma dramaturgia verbal e corporal, relatos próprios e de outras mulheres negras com experiências semelhantes.”
A proposta é a de trazer à tona essa discussão e, ao mesmo tempo, poder humanizar esses sofrimentos a fim de que a problemática seja percebida por todos e como um alerta para aqueles que sofrem com a doença, para que procurem ajuda. A direção é de Tatiana Tibúrcio.
“Tempestuosa Depressagem é uma performance que dialoga com as vivências subjetivas do ser humano. Estas sensações são de difícil compreensão para a maioria da população. E nós, da população negra, temos a dificuldade de assumir e admitir quando somos acometidos psicologicamente. Desde a época do navio negreiro, a população negra já sofria e se suicidava por depressão, na ocasião chamada de banzo, e tida como um mal que só acometia aos escravizados. E assim nada foi feito para combater a patologia da relação mente e alma. E os pretos foram, como sempre, deixados de lado e, sem o condicionamento para reconhecer o problema, eles tiveram potencializados seus distúrbios, pois o direito à humanidade foi negado. No que diz respeito às mulheres negras, a sociedade brasileira se condicionou a uma cobrança excessiva, pregando que esta é uma fortaleza ambulante e não sente nada, conseguindo lidar bem com tudo. Segundo Djamila Ribeiro, por conta das violências pelas quais as mulheres negras passam, criou-se o mito da mulher negra forte, guerreira, que enfrenta tudo. Mulheres negras precisam ser fortes porque o Estado é omisso e desumano, porque também não reconhece nelas suas fragilidades que são próprias da condição humana. Sabemos que esta é uma construção racista e que traz uma ideia de que somos mais objeto do que humanos. Percebi que ao lidar com a saúde mental o problema é invisibilizado e silenciado entre a população negra. O autocuidado é praticamente inexistente, e isto é herança que o banzo nos deixou”, relata a idealizadora do projeto, Flavia Souza.
Flavia criou em 2017 MOVIMENCURE (movimento que cura). O Movimento tem como proposta debruçar e pesquisar sobre essa patologia da qual foi vítima. “A partir das manifestações culturais, circulares e acolhedoras, onde movimenta a energia que cada ser carrega em si, encontrei uma possibilidade de cura, trazendo, dessa maneira, uma reflexão através da ancestralidade”, diz.
“Através de pesquisas e oficinas, montei um pequeno fragmento solo, com participações e intervenções de vídeos com relatos sobre saúde mental, psíquica, sobre a construção de um ser forte, sobre a dificuldade que pessoas, principalmente negras, têm de admitir que estejam sofrendo e precisando de cuidados e sobre como, onde e quando podemos e devemos buscar ajuda. É sabido que o corpo fala e dialoga sobre tudo, sobre cura, angústia e ancestralidade”, afirma a artista.
O projeto Tempestuosa Depressagem foi contemplado no I PRÊMIO CULTURA + DIVERSIDADE da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. 
Tempestuosa Depressagem
Local: Teatro Angel Vianna – Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro – Rua José Higino, 115 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Data: dia 7/04
Horário: 19h30
Classificação: livre

 

| A Cidade das Artes vai receber o projeto no dia 19 de julho, domingo. Dream Team do Passinho, Baile Charme de Madureira, Oficina Infantil RECRIA do Centro de Movimento Deborah Colker e aula de dança com Jaime Arôxa são algumas das atrações | 

A dança ganha no domingo, 19 de julho, uma edição especial do Programão Carioca. O projeto vai ocupar a Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, com performance, oficinas, mostras de dança e uma apresentação especial de encerramento. A partir das 14h, o público poderá participar de atividades gratuitas e conferir apresentações que vão do charme ao funk, passando também pela dança de salão e outros ritmos, com grupos como Baile Charme de Madureira e Dream Team do Passinho. A iniciativa da Globo leva mensalmente arte e cultura para moradores de várias regiões do Rio e do Grande Rio. A distribuição de senhas começa a partir das 14h.

O dia começa com uma performance do grupo JP Move (Grupo Jovens de Periferia) e segue com atividades das 15h às 17h, como a oficina infantil Recria, do Centro de Movimento Deborah Colker. A programação segue com aula de stiletto – dança que combina hip hop, jazz e salto alto – com Bruno Alsiv. O grupo Rio Hoppers vai colocar o público para dançar o lindy hop, ritmo afro-americano nascido em 1930 e atualmente febre nas pistas de dança do Rio e de outras cidades.

As mostras de dança, que acontecem das 17h às 18h30, vão contar com a participação dos grupos Al-Dabarãn, Cia Livre Acesso, Pulsar Cia de Dança, Cia Dançar a Vida, Baile Charme do Viaduto de Madureira e Favela em Dança com o núcleo 7.0. Das 18h30 às 19h30, as oficinas de dança voltam com aula de passinho do grupo Imperadores da Dança e dança de salão com Jaime Arôxa e Monique Marculano.

O Dream Team do Passinho encerra a programação com o ritmo funk pop do grupo que ganhou força na internet e nas ruas e palcos do Rio de Janeiro com os hits De Ladin, Vai dar Ruim, Todo Mundo aperta o Play, Quadradinho Juntinho. Criado em 2013, o Dream Team é um dos expoentes do “passinho”, movimento que há mais de uma década é sucesso nos bailes cariocas.

Programão Carioca
Data: dia 19 de julho, domingo
Horário: A partir das 14h
Local: Cidade das Artes – Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ / Tel.: (21) 3325 0102
Entrada: Distribuição de senhas a partir das 14h

Programação:

– 14h40 às 15h
– Performance do grupo JP Move

– 15h às 17h
– Oficina infantil Recria do Centro de Movimento Deborah Colker (classificação seis anos)
– Oficina de stiletto com Bruno Alsiv
– Oficina de lindy hop com o grupo Rio Hoppers

– 17h às 18h30
– Grupo Al-Dabarãn
– Cia Livre Acesso
– Pulsar Cia de Dança
– Cia Dançar a Vida
– Baile Charme do Viaduto de Madureira
– Favela em Dança com Núcleo 7.0

– 18h30 às 19h30
– Oficina do passinho com o grupo Imperadores da Dança
– Oficina de dança de salão com Jaime Arôxa e Monique Marculano

– 19h30
– Dream Team do Passinho (Distribuição de senhas para o espetáculo de encerramento às 18h30)

%d blogueiros gostam disto: