Foto: Divulgação Facebook

A cantora participa do projeto “Música na Cidade” nesta segunda, dia 26/08, realizado pela Fundação Nacional de Artes – Funarte. Maíra, que também é arranjadora e pianista, é a convidada do conjunto Época de Ouro, que se apresenta semanalmente no projeto, com transmissão ao vivo pela Rádio Nacional AM. O programa “Época de Ouro” é apresentado por Cristiano Menezes e tem duas horas de duração.

Maíra Freitas é formada pela Escola de Música da UFRJ e possui carreira como pianista erudita. Estreou na música popular como cantora no disco “Poetas da Cidade”, de seu pai, o sambista Martinho da Vila. Já fez shows no Brasil e no exterior ao lado de  artistas como João Donato, Mart’nalia, Alcione, Wilson das Neves, Ed Motta, Ivone Lara, além de outros.

“Em 2011 lançou, pelo selo Biscoito Fino, o CD “Maíra Freitas”, com três faixas de sua autoria: Alô?Corselet e Se joga. O disco, produzido por Mart’nália, contou com a participação dos músicos Wilson das Neves (bateria), Dirceu Leite (flauta), Cláudio Jorge (violão) e dos cantores Qinho, em As voltas (Qinho e Vitor Paiva), Martinho da Vila, em Disritmia (Martinho da Vila) e Joyce Moreno, em Monsieur Binot (Joyce Moreno). O CD incluiu também as regravações de Se queres saber (Peter Pan), Recado (Gonzaguinha), Mambembe (Chico Buarque), Maracatu nação do amor(Moacir Santos e Nei Lopes), O show tem que continuar (Arlindo Cruz, Sombrinha e Luiz Carlos da Vila), Só o tempo (Paulinho da Viola) e O voo da mosca (Jacob do Bandolim).

Em 2013, fez a direção musical, arranjos e atuou como cantora e pianista ao lado de sua irmã Mart’nalia no disco “Carnavalança – Carnaval para Crianças”, que conta com participações de grandes nomes da música brasileira como Chico Buarque, Maria Rita, Martinho da Vila, Luiz Melodia, entre outros.”

Sobre o Época de Ouro

“O grupo teve grande importância no chamado movimento de resistência do choro, na década de 1960, quando a bossa nova reinava quase absoluta no cenário musical brasileiro. Com o falecimento de seu fundador, Jacob do Bandolim, em agosto de 1969, alguns compromissos foram adiados e o conjunto somente retomou suas atividades em 1973, a convite de Paulinho da Viola, para participar do espetáculo Sarau, no Teatro da Lagoa. Foi desta experiência que surgiu o Clube do Choro, idealizado por Paulinho da Viola e Sérgio Cabral, e todo um movimento no país em busca de dar maior visibilidade ao choro.

Atualmente, o conjunto é formado por Jorginho do Pandeiro (diretor musical), Jorge Filho (cavaquinho), Ronaldo do Bandolim, Antônio Rocha (flauta), Toni Sete Cordas (violão de sete cordas) e André Belieni (violão). No repertório do grupo estão as músicas No bar do Osvaldo,Bagaço e Vidas Maltraçadas, de Dante Santoro; Minha vez, de Pixinguinha; Noite sem lua, de Antonio Rocha; Aquele Chorinho, de Luiz Gonzaga; A Deusa da Minha Rua, de Newton Teixeira;Despertar da Montanha, de Eduardo Souto; Modinha, de Sérgio Bittencourt; Receita de Samba,Graúna e Porque Sonhar, de Jacob do Bandolim.

Toda segunda-feira, das 17h às 19h, a Sala Funarte Sidney Miller recebe o Época de Ouro e seus convidados para o programa da Rádio Nacional, aberto ao público e com entrada franca. A utilização do espaço resulta de uma parceria entre a Funarte e a EBC – Empresa Brasil de Comunicação. Antes, o show era transmitido do auditório da Rádio Nacional que, atualmente, passa por reforma. Foi no prédio da emissora, na Praça Mauá, Centro do Rio, que muitos talentos da música brasileira foram revelados.”

Projeto Música na Cidade – Programa Época de Ouro
Conjunto Época de Ouro recebe a cantora Maíra Freitas

Data: Dia 26 de agosto, segunda-feira, das 17h às 19h
*Convites na bilheteria, a partir das 15h
Classificação: 12 anos
Local: Sala Funarte Sidney Miller – Rua da Imprensa, 16 – Centro – Palácio Gustavo Capanema
Tel.: (21) 2279-8087
Mais informações: Centro da Música/Funarte – Tel.: (21) 2279-8601

Fonte: Site Funarte