Tag Archive: documentário


| Evento acontece em homenagem ao jornalista, que completaria 100 anos em 2017 |
Foto do jornalista João Saldanha narrando uma partida de futebol em uma cabine de rádio em um estádio

Foto: Rádio Globo

Para celebrar o centenário do jornalista João Saldanha, que aconteceria neste ano, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ) prepara uma homenagem que ocorrerá no dia 25 de julho, às 18h30, com a exibição do documentário “João Saldanha”, de 2012, seguida de uma mesa-redonda no auditório que leva o nome do jornalista, em sua sede, na Rua Evaristo da Veiga 16, 17º andar, na Cinelândia, no Centro do Rio. O jornalista e pesquisador André Iki Siqueira está entre os nomes escalados para a mesa-redonda. Além de diretor do documentário – junto com Beto Macedo -, ele é autor da biografia “João Saldanha: uma vida em jogo”.

Ex-técnico da seleção brasileira, botafoguense e militante do Partido Comunista Brasileiro, Saldanha é considerado um dos maiores cronistas e comentaristas da história do jornalismo esportivo do País.

O jornalista trabalhou nas redações de O Globo, Jornal do Brasil, Placar, Última Hora, Diário Carioca, TV Rio, Rádio Tupi, Rede Globo e Rede Manchete. Crítico diário da seleção brasileira, João aceitou o desafio, virou técnico, classificou o Brasil para a Copa de 1970 e foi demitido do cargo ao se recusar a atender um pedido do general Médici, então presidente do Brasil, em plena ditadura militar.
João Saldanha morreu aos 73 anos, na Itália, onde estava trabalhando na cobertura da Copa do Mundo de Futebol, em 12 de julho de 1990, de insuficiência respiratória e embolia pulmonar.

 

Sindicato dos Jornalistas do Rio exibe documentário João Saldanha
Local: Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ) – Rua Evaristo da Veiga, nº 16 – 17º andar – Cinelândia – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: dia 25/07
Horário: 18h30

Anúncios
| Documentário de Emmanuel Rufi acompanha alunos do curso de modelo Dream Models, criado há 25 anos, na Rocinha, por José Luiz Summer |

Foto: Consulado da França/reprodução

O espaço cultural A MAISON, do Consulado Geral da França no Rio, receberá a estreia do filme “A passarela da vida”, de Emmanuel Rufi, no dia 13 de julho, a partir das 19h30. Após a exibição do documentário acontecerá um debate mediado por Rufi e com a presença de José Luiz Summer, fundador do curso Dream Models, e Rafaella Lemes, modelo coroada Rainha do Rio em 2015 e ex-aluna do curso.

‘O filme:
“A passarela da vida” acompanha os alunos do curso de modelo DREAM MODELS, criado há 25 anos, na Rocinha, por José Luiz Summer. Quando o estilista mineiro Victor Dzenk chega à favela da Rocinha à procura de um modelo local para seu desfile na Rio Fashion Week, os adolescentes sonham com uma carreira profissional.

Estreia do filme “A passarela da vida” + debate 
Local: Espaço cultural A MAISON – Avenida Presidente Antônio Carlos, n° 58, 11° andar – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data:  dia 13 de julho
Horário: das 19h30 às 21h
*Entrada franca, sem inscrição, sujeito à lotação

 

| O curta entrevistou nove produtores culturais de favelas cariocas e da Baixada Fluminense |

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

No dia 10 de setembro (quinta), às 20h, o documentário “9Centros“, realizado por alunos da ESPOCC – Escola Popular de Comunicação Crítica do Observatório de Favelas, fará sua primeira exibição pública na Arena Carioca Dicró, seguida de um bate-papo com os diretores, os entrevistados do filme e convidados com o tema “Cultura de periferia: favelas cariocas e baixada, a diferença dos desafios”. O curta-metragem documentário, que entrevistou nove produtores culturais de favelas cariocas e da Baixada Fluminense, mapeia o cenário cultural dos territórios populares da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Estarão presentes na roda de bate-papo Ricardo Fernandes, ator, diretor teatral e produtor cultural da Cidade de Deus, um dos fundadores do grupo Os Arteiros; Hanier Ferrer, da ‪#‎geração90, da Barraco Marginal, produtor, ativista cultural e escritor; Rodrigo Pinho, um dos fundadores do Resistência Cultural, produtor do Ocupa Escola, ator e músico; Thamyra Thamara, fotógrafa, produtora cultural e pesquisadora; Bhega da Silva, ativista ambiental e cultural, criador do Cineminha no Beco; Will Ow, DJ, ativista social e cultural, integrante do Antiéticos.

A direção, produção e produção executiva são de Karla Suarez, que também assina o roteiro, Iury De Carvalho Lobo e Igor Souza, além de Gilmara Moreira na produção.

Sinopse

“O curta-metragem documentário 9Centros mapeia o cenário cultural dos territórios populares da região metropolitana do Rio de Janeiro. Com entrevistas de 9 produtores culturais de locais como Maré, Cidade de Deus, Vila Cruzeiro, Nova Iguaçu e Caxias, entre outros, o filme aborda a importância das produções culturais de territórios populares e de seus produtores para seus territórios e para as cidades.”

Exibição do documentário “9Centros”
Data: dia 10/09, quinta-feira
Horário: às 20h
Local: Arena Carioca Dicró – Av. Brás de Pina, s/n, Parque Ary Barroso – Penha – Rio de Janeiro – RJ
*Mais informações na página do evento no Facebook.

Foto de entrevista com o mestre China

Foto: Reprodução Facebook 

| Primeira sessão exibirá o filme “Praça do Skate – A Primeira Pista da América Latina”, no dia 24/04, às 18h |

A Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu estreia seu novo projeto: o cineclube ELC. De abril a julho haverá exibição de filmes que dialoguem com a temática de cultura urbana e juventude. Na primeira sessão, dia 24 de abril, às 18h, será exibido o documentário “Praça do Skate – A Primeira Pista da América Latina“, do VJ e diretor Paulo China.

O documentário conta a história da “Praça do Skate”, localizada no centro da cidade de Nova Iguaçu, conhecida por ser a primeira pista construída na América Latina. No final da exibição acontecerá um bate-papo entre o diretor do documentário e os espectadores.  A ideia do Cineclube é mostrar diversos filmes que tenham como tema a arte urbana e a juventude, já que a 4ª edição do Iguacine – Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu, que acontecerá no segundo semestre, abordará esses assuntos.

Sobre a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu
A Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, fundada em julho de 2006, é a primeira escola de audiovisual da Baixada Fluminense. Localizada no bairro de Miguel Couto, em Nova Iguaçu, sob a gestão da OSCIP Avenida Brasil Instituto de Criatividade Social, o projeto é dirigido pelo cineasta e diretor teatral Marcus Vinícius Faustini.
Em 2012, com a mudança para Austin, a ELC iniciou um novo ciclo e agora conta com uma gestão colaborativa na qual o Cineclube Buraco do Getúlio, a ONG Laboratório Cultural, o Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense e o Cineclube Mate com Angu contribuem com mobilização e produção.

Cineclube ELC
Filme: Praça do Skate – A Primeira Pista da América Latina, de Paulo China
Local: Sede da Escola Livre de Cinema Nova Iguaçu – Rua Cândido Lima, 13, Sobreloja – Austin (próximo à Estação de Trem) – Nova Iguaçu
Data: dia 24/04 (sexta-feira), às 18h

| Encontro terá exibição do filme “Escolarizando o mundo: o último fardo do homem branco”, seguida de um bate-papo sobre propostas e práticas inovadoras em escolas |
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

No dia 17 de março, às 18:30h, o Cinema Nosso promove mais uma sessão do Ciclo Mídia Educação. Será exibido o filme Escolarizando o mundo: o último fardo do homem branco, de Carol Black (2010, 65′) – Schooling the World – e, logo após a exibição, haverá um bate-papo sobre propostas e práticas inovadoras em escolas. O debatedor será o professor Pedro Henrique Gomes.

O objetivo do evento é mostrar projetos bem sucedidos e estimular a reflexão sobre mudanças necessárias no ambiente escolar, principalmente, através da linguagem audiovisual.

“Sinopse: O filme é uma co-produção americana e indiana. Dirigido e editado por Carol Black, aborda de forma contundente o fato de a educação escolar ter servido, ao longo dos últimos séculos, à colonização e estar servindo, atualmente, à homogeneização cultural. Em outras palavras, com o documentário se mostra um lado perverso da educação para o qual nem sempre voltamos os olhos: a possibilidade de, se mal utilizada, a escola servir à extinção das culturas e à perda da diversidade cultural. O filme procura tornar explícitas as premissas ocultas por trás de projetos de escolarização em andamento em várias partes do mundo. Entre elas, destaca-se a falsa ideia de que os valores e o modo de vida ocidental são superiores e absolutos, vias de acesso garantido para uma vida melhor.

Cinema Nosso: é uma instituição sociocultural com mais de 12 anos de atividades. Sua missão é a democratização do audiovisual para a juventude carioca. Somos hoje, uma das maiores escolas populares de Audiovisual da América Latina, realizando cursos, oficinas, produções, palestras, mostras, sessões de cinema e festivais. Situada em um casarão do século XIX no coração da Lapa, no Rio de Janeiro, a organização prioriza o estímulo à reflexão e ao respeito, diversidade, pluralidade e cultura popular. A ação foi iniciada a partir do processo de produção do filme“Cidade de Deus” dos diretores Fernando Meirelles e Kátia Lund.
O Espaço Cinema Nosso possui 58 lugares. Equipada com tecnologia digital 3D, é uma sala de cinema de rua alternativa e polivalente que viabiliza o acesso ao audiovisual, a formação de público e também se configura enquanto local de criatividade e descontração.

Sessão Ciclo Mídia e Educação
Exibição do filme Escolarizando o Mundo: o último fardo do homem branco, de Carol Black (2010, 65´)
Local:
Espaço Cinema Nosso – Rua do Rezende, 80, Lapa – Rio de Janeiro – Tel.: 21.25053300
Data:
dia 17/03
Horário:
às 18:30h

Você encontra mais informações sobre o documentário no site http://www.schoolingtheworld.org.

| Evento é uma homenagem ao autor, que faleceu em novembro do ano passado |
Foto de membros da Cia. Solo

Foto: Reprodução

A Cia. do Solo realiza um sarau na Cidade das Artes, no dia 07 de março, às 15h, em homenagem ao poeta Manoel de Barros, que faleceu em novembro de 2014.  Serão apresentados poemas do autor com música, poesia, conversa e criatividade. Será uma homenagem ao poeta que descobriu a poesia contida na infância, no ócio e na percepção além da forma. Após o sarau, as crianças poderão colorir, ajudar na montagem e acabamento de um singelo móbile, que ficará na sala de leitura da Cidade das Artes.

Sarau em homenagem ao poeta Manoel de Barros com a Cia. Solo
Local: Sala de Leitura da Fundação Cidades das Artes – Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro / RJ – Tel.: (21) 3325 0102
Data: Dia 07/03, sábado
Horário: às 15h

Veja também: Filme “Só Dez Por Cento é Mentira” é exibido em homenagem a Manoel de Barros na Cidade das Artes. Mais informações no link http://wp.me/pGfCs-147.

Foto da Orquestra Voadora

Foto: Reprodução Facebook Orquestra Voadora

Hoje tem exibição dos documentários Aprendendo a Voar e Cinco Carnavais da Orquestra Voadora, nos jardins do MAM, às 20h. Aprendendo a Voar mostra a visão dos alunos a respeito da oficina que acontece ao longo do ano no Circo Voador e desemboca no desfile. A direção é de Rodrigo Daniel. Cinco Carnavais da Orquestra retrata como foi se transformando o desfile de carnaval da orquestra com o passar dos anos. O filme tem tem a direção coletiva do bloco da Orquestra Voadora e amigos.

brass band, que nasceu em 2008, a partir do encontro de músicos do carnaval de rua do Rio de Janeiro, promove a mistura de ritmos como rock, funk, pop e jazz com os já tradicionais frevo, samba e maracatu.

Exibição dos documentários Aprendendo a Voar e Cinco Carnavais da Orquestra Voadora
Local: Jardins do MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo – Rio de Janeiro – RJ – tels.: 55 21 20021-140 / 3883 5600 / fax.: 3883 5612
Data: dia 1º de fevereiro
Horário: às 20h

Foto/arte: Reprodução

Comemorando 20 anos, a Mostra terá sessões de cinema, debates e mesas-redondas no Centro Cultural da Justiça Federal e na Uerj entre os dias 12 e 17 de dezembro. O evento busca valorizar documentários de caráter etnográfico, mapeando produções nacionais e internacionais. De acordo com a organização, o evento repercutiu no Brasil e no exterior e inspirou a criação de festivais em outras cidades, como Belo Horizonte, Manaus e Recife.  A curadoria é da antropóloga Patrícia Monte-Mór e coordenação de José Inácio Parente, fotógrafo, documentarista e psicanalista.

Programação no Centro Cultural da Justiça Federal
Programação de Filmes e debates:

Fórum de Cinema e Antropologia
Dia 12/12 – Filmes serão exibidos a partir das 14:30h. Senhas 1 hora antes. Sujeito a lotação da sala.
Carioca era um Rio, 74 min, de Simplício Neto
Depois rola o mocotó, 52 min, de Débora Herszenhut
A Batalha do Passinho, 72 min, de Emílio Domingos

Mesa redonda
Dia 12 /12, às 18:30h. Aberta ao público. Senhas 1 hora antes. Sujeito a lotação da sala.
A Mostra com o papel de formação
Simplício Neto (cineasta, Professor cinema UFF)
Débora Herszenhut – (mestranda em antropologia/IFCS-UFRJ, documentarista)
Eliska Altmann – Socióloga e pesquisadora de cinema (UFRRJ)
Emílio Domingos – (cineasta e cientista social)
Divino Tserewahu, cineasta.
Coordenação: José Inacio Parente (Fótografo, documentarista e psicanalista)

Dia 13/12 – Filmes serão exibidos a partir das 14:30h. Senhas 1 hora antes. Sujeito a lotação da sala.

Coutinho.doc: apto 608, de Beth Formaggini, 51 min.
Jean Rouch, subvertendo fronteiras, de Edgar Teodoro da Cunha, Ana Lucia Ferraz, Paula Morgado, Renato Sztutman, 41 min.
A língua do Peixe, Awayunync Kamayura, Samurai Kamayura, Tawana Kalapalo. Ficção 11 min.
Segredo, de Aiukuri Kuikuro, Amini Kuikuro, Kaiautá Kalapalo, Monai Kuikuro, Tuguhi Kuikuro, 13 min.

Mesa redonda
Dia 13/12, às 18h. Aberta ao público. Senhas 1 hora antes. Sujeito a lotação da sala.
20 anos de Mostra. Balanço: Caminhos da Antropologia Visual, novas perspectivas e desafios

Carlos Alberto de Mattos (critico de cinema)
Marc Piault (antropólogo visual, EHESS, diretor Festival Jean Rouch/Paris).
Edgar Teodoro da Cunha (antropólogo visual/LISA/USP)
Ruben Caixeta de Queiroz (antropólogo, diretor Fórum.doc/UFMG/BH).
Silvio Da-Rin (cineasta).
Coordenação: Patrícia Monte-Mór (antropóloga, NAI/UERJ).

Programação na UERJ – Auditório Cartola

Dia 16 dezembro, às 18h.
O Mestre e o Divino, de Tiago Campos, 83 min.
Debate com Patrícia Monte-Mór (NAI-UERJ/VNA) e com o antropólogo José Bessa (FACED-UERJ/VNA)

Dia 17 de dezembro, às 17:30h.
Conversa com Gilberto Velho, de Patrícia Monte-Mór, 24 min.
Depois rola o Mocotó, de Débora Herszenhut, 52 min.
A Batalha do Passinho, de Emilio Domingos, 72 min.
Debate com os realizadores.

Informações: pro.interior@gmail.com
Interior Produções. Tel.: 21 22394691

EVOÉ! Retrato de um Antropófago (São Paulo, 104 min, 2011), dirigido por Tadeu Jungle e Elaine Cesar, será exibido no dia 6 de dezembro, às 10h no Teatro Sesc Ginástico.

O filme reúne depoimentos recentes e imagens históricas da carreira do diretor, ator e dramaturgo José Celso Martinez Corrêa (Zé Celso), do Teatro Oficina. A produção tem registros feitos em pontos-chave de sua trajetória, como o Sertão da Bahia; Praia de Cururipe, em Alagoas; Epidaurus e Atenas, na Grécia, além de sua casa, em São Paulo.

EVOÉ! Retrato de um Antropófago na Mostra Cine Cena
Local: Teatro Sesc Ginástico – Av. Graça Aranha, 187  – Centro- Rio de Janeiro /RJ – Tel.:  21 2279 4027
Data:
o6/12, sexta-feira, às 10h
Capacidade: 513 lugaresI

Indicado para maiores de 16 anos

O filme “Ouvir o Rio: Uma Escultura Sonora de Cildo Meireles” fica em cartaz até 14 de novembro no Espaço Itaú de Cinema, em Botafogo. O documentário de Marcela Lordy – de 70 minutos – apresenta o artista plástico Cildo Meireles em busca do som das principais bacias hidrográficas brasileiras para a construção da escultura sonora Rio Oir, criada a partir do jogo e da articulação entre palavras e conceitos.

Após registrar áudios de locais como as cachoeiras do Foz do Iguaçu, no Paraná; a Pororoca do Macapá; do Parque das Águas Emendadas, próximo a Brasília e Foz do Rio São Francisco, entre os estados de Alagoas e Sergipe, o artista os reuniu em estúdio e os “combinou à cacofonia das águas processadas pelo homem e às gargalhadas humanas”. Ouvir o Rio retrata um pouco da relação dos habitantes dessas regiões com a água e a percepção entre o som e a imagem.

Documentário “Ouvir o Rio: Uma Escultura Sonora de Cildo Meireles”
Local:
Espaço Itaú de Cinema – Praia de Botafogo, 316 – Botafogo – sala 4
Período: De 08 a 14 de novembro
Horário: às 17:20h
Classificação: indicado para todos os públicos

Foto: reprodução internet

Uma boa dica para quem deseja aprender ou aprimorar conhecimentos em audiovisual é participar dos cursos da Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, que está com inscrições abertas até dia 13/09 para duas oficinas: Oficina de Realização de Documentários, em parceria com o Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF) e “Laboratório Mate com Angu de Cinema e Cyber Ativismo”, em parceria com o Cineclube Mate com Angu. O “Laboratório de Cyber Ativismo” visa a utilização da arte e da mídia para  intervir na vida e na cidade.

Os candidatos interessados no Laboratório de “Cyber Ativismo” devem ter mais de 17 anos de idade e cursar ou ter concluído o Ensino Médio. Para a oficina de documentários, além destes pré-requisitos, os candidatos precisam ter participado de qualquer oficina ligada ao audiovisual.

Haverá um processo seletivo para Oficina de Documentários no dia 14 de setembro, às 10h. O início do “Laboratório de Cinema e Cyber Ativismo” está previsto para o dia 14 de setembro, às 14 horas.

Cursos na Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu
Local: Rua Cândido Lima, 13 – Austin – Nova Iguaçu – próximo à Estação de Trem Austin, ramal Japeri da Supervia
Mais informações pelo telefone 2763-7570 / e-mail escolalivredecinema@gmail.com
Foto Rocky spirit

Foto: Divulgação Revista Go Outside/Alírio de Castro

Copacabana recebe a terceira edição do Festival de Documentários Rocky Spirit neste fim de semana. O maior festival brasileiro de cinema ao ar livre, que reúne os melhores filmes de aventura produzidos recentemente no mundo, conta com exibição de produções nacionais e internacionais com temáticas como surfe, mountain bike, meio ambiente, escalada e vida ao ar livre. Dos 27 filmes que serão exibidos, 21 integram a turnê internacional do “Mountain Film em Telluride“, o principal festival de filmes de montanha do mundo.

Durante os intervalos haverá shows da cantora Dora Vergueiro (sábado) e da Banda Sandálias Surf (domingo). Entre os convidados especiais, os surfistas Carlos Burle e Maya Gabeira, o montanhista Allan Pinheiro e os remadores Pedro Oliva, Ben Stookesberry e Chris Korbulic participarão de um bate-papo com o público após a exibição dos filmes dos quais são protagonistas.

“O Festival de Filmes Outdoor Rocky Spirit é dedicado a inspirar o público por meio de expedições, iniciativas e atletas que merecem ser admirados; culturas que interessam ser conhecidas; ambientes que precisam ser preservados e ideias que valem a pena ser pensadas.”

Programação:

Sábado, 31 de agosto

18h – Show: Dora Vergueiro
19h – 1º Bloco de Filmes: Yukán; Albee Layer; Strong; Badru’s Story; A New Perspective; Django Django Wor; Cascada, Je veux; Libertadores (Brasil)
Intervalo: Show com Dora Vergueiro
21h – 2º Bloco de Filmes: Hillian Martin; Honnold 3.0; Twoo Wheels Good; Sea of Rock; De Volta a Teahupoo (Brasil)
23h – Sessão Coruja: Nord For Sola
– Em seguida, “Perguntas e Respostas” (bate-papo) com Maya Gabeira e Carlos Burle, protagonistas do filme De Volta a Teahupoo

Domingo, 01º de setembro

18h – Show: Sandálias Surf Band
19h -1º Bloco de Filmes: Paper Shredder; Restrito (Brasil); 35; Gimp Monkeys; Split of a Second; Entrelinhas (Brasil)
Intervalo: Shw Sandálias Surf Band
21h – 2º Bloco de Filmes: Joy of Air; Heeper of the Mountains; Um Ano Para Recordar (Brasil); The Kyrgyzstan Project; Lacon de Catalonia; Off Kaiak Noruega (Brasil)
Em seguida, “Perguntas e Respostas” (bate-papo) com Allan Pinheiro (Entrelinhas), Pedro Oliva, Ben Stookesberry e Chris Korbulic (protagonistas do filme Off Kaiak Noruega)

Festival de Documentários Rocky Spirit
Local: Praia de Copacabana (entre os postos 2 e 3)
Datas: 31/08 (sábado) e 01º de setembro (domingo), a partir das 17:30h

* A organização do evento sugere algumas dicas:

“Assistir filmes ao ar livre é uma curtição, mas exige alguns preparativos para que a experiência seja mais confortável. As duas primeiras edições do Rocky Spirit aconteceram em noites muito frias, com clima típico de montanha. Vá pronto para tudo:
>> Se puder, leve uma cadeira de praia. É garantia de conforto por muitas horas de filmes. Na falta de uma cadeira, uma canga, cobertor, isolante térmico ou saco de dormir quebram o galho.
>> Leve roupas quentes, pois ficar parado sob o sereno faz com que nossa temperatura corporal caia bastante. E não custa se precaver com uma jaqueta ou capa impermeável.
>> O Parque do Ibirapuera não permite a venda ou distribuição de alimentos e bebidas durante o evento. Por isso, tenha consigo um lanche.
>> Entre no espírito do festival e busque o menor impacto: traga utensílios reutilizáveis e não deixe lixo no parque ou na praia.
>> Cuide bem deste programa, para que ele possa ser usado ao longo dos dois dias. Evite o desperdício de papel.
>> Se puder, vá de ônibus, táxi, bike ou combine carona com os amigos.
>> Teremos intervalos a cada hora de filme para que o público possa usar os banheiros químicos instalados ao lado do gramado e da praia. Ajude a mantê-los limpos”

Foto: Bill Eppridge

O “I Festival Praça do Skate” promete oito horas de muito skate, música, distribuição e sorteios de brindes, MCs, DJs, best tricks com mais de R$2.000,00 em prêmios, exibição do documentário “Praça do Skate“, vídeos de skate, stands dos apoiadores e patrocinadores e sessão de autógrafos com a presença de skatistas profissionais!

Praça do Skate” reúne depoimentos de pioneiros do esporte para contar a história da primeira pista construída na América Latina, em 1976, em Nova Iguaçu. O filme é um média-metragem de 45 minutos com depoimentos dos idealizadores da pista, dos responsáveis pela obra, que foi realizada em plena ditadura militar, e dos primeiros frequentadores do local, como o ator Humberto Martins, o criador do programa Realce, Cesinha Chaves, o primeiro skatista a vencer um campeonato brasileiro, Mario Raposo, e Quinzinho, considerado o maior talento daquela época. O campeão mundial Bob Burnquist e o skatista Mineirinho também aparecem no filme.

O roteiro é de Paulo China, produção de Luciano Roxo e Tobias Soares e realização da Flora Filmes.

I Festival Praça do Skate
Local: Praça do Skate, Nova Iguaçu – RJ
Data e horário: Dia 24 de agosto, das 14 às 22h / A exibição do filme será às 19h.

Lenine faz show em Niterói

Foto: divulgação/site

O cantor, produtor musical e compositor já gravou dez discos e completa 30 anos de carreira. Atualmente, Lenine apresenta a turnê “Chão”, seu disco mais recente, lançado em outubro de 2011. “O álbum traz uma suíte de dez canções, marcadas pelos sons de seu cotidiano, como o canto de um pássaro, o ruído de uma chaleira, o barulho das cigarras no verão da Urca”. Lenine já ganhou vários prêmios: cinco prêmios Grammy Latino, 2 APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), nove Prêmios da Música Brasileira (chamado também de Sharp e TIM em edições passadas) e já se apresentou em dezenas de países em turnês, que o levaram aos maiores festivais de música do mundo como o de Roskilde (Dinamarca), Womad, de Peter Gabriel (Inglaterra, Espanha e Ilhas Canárias), Festival de Montreal (Canadá) e Eurockéennes (França), entre outros.

“Chão” já passou por mais de 70 cidades brasileiras, além de países como Chile, Argentina, Uruguai, França e Itália. O show em Niterói é uma realização da Prefeitura de Niterói, através da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação de Arte de Niterói em parceria com o Circuito SESI Cultural.

Show Turnê “Chão”
Local: Praia de Itaipu – Niterói/RJ
Data: 21 de junho (sexta-feira)
Horário: 20h
Mais informações no site da Secretaria de Cultura e da Fundação de Arte de Niterói /tels.: (21) 2621-5050 / 2613-5431

—————————————————————————

Confira também os eventos que ainda acontecerão na cidade e que fazem parte do projeto “Arte na Rua”, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura e Fundação de Arte de Niterói! 

Sérgio Chiavazzoli se apresenta neste domingo, dia 16, às 11h, no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno. O produtor, arranjador, compositor, multi-instrumentista e musicoterapeuta apresenta um repertório mesclando jazz, blues, chor e MPB.

“Aos 7 anos, Chiavazzoli já participava do grupo de baile formado pela família. Aos 13 anos, iniciou estudo de violão Clássico e Flamenco, com Paulo Roberto Leitão. Com 20 anos, montou o primeiro Trio-Elétrico de Niterói. Um dos únicos da banda de Gil a acompanhá-lo ao concerto da ONU e apos graduar-se em Musicoterapia (2008), Chiavazzoli alem da sua carreira solo, montou com seus amigos Arthur Maia, Carlos Malta, Claudio Andrade e Jorginho Gomes o Grupo Gomanchi de musica instrumental. Em 2010 montou o Mafuá Instrumental, um Power Trio com Fábio Lessa e Flávio Santos e é arranjador do último CD ‘Fé na Festa’ de Gilberto Gil.”

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura e Fundação de Arte de Niterói.

Sérgio Chiavazzoli
Data: 16/06 – domingo
Horário: 11h
Local: Varanda do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno  – Endereço: Campo de São Bento, Icaraí

—————————————————————————

Exibição do documentário L.A.P.A e shows dos MC’s Nissin e TH

As atividades acontecem na Praça Irênio de Matos, Engenho do Mato, no domingo, dia 16. Os MC’s, que são niteroienses, apresentarão composições próprias, com características fundamentais do ‘freestyle’ (rimas de improviso), às 20h.

L.A.P.A (2008), de Cavi Borges e Emílio Domingos, é um filme sobre o universo do hip hop carioca, a respeito do cotidiano de quem busca sobreviver da música no Brasil. O filme conta com participação de Marcelo D2, BNegão, Black Alien, Chapadão, Funkero, Marechal, Aori, Iky Castilho, Macarrão e outros personagens do rap carioca, que cantam e contam suas histórias. A sessão do documentário acontece às 18h.

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura e Fundação de Arte de Niterói.
David Hannan

Foto: divulgação

O tema meio ambiente é amplamente discutido atualmente. Em tempos de termos como efeito estufa, a abordagem vai desde o problema da liberação desenfreada de Monóxido de Carbono ao desmatamento de grandes áreas como a Amazônia, passando por tragédias ambientais marinhas pelo mundo. Esses são apenas alguns dos problemas mais vistos e comentados pelas organizações de educação ambiental. O Dia Mundial do Meio Ambiente foi estabelecido pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1972, marcando a abertura da Conferência de Estocolmo sobre Ambiente Humano, que aconteceu entre os dias 05 e 16 de junho. Celebrado anualmente desde então, chama à atenção para ações de governos e da população mundial para aumentar a conscientização e a preservação ambiental.

Não por coincidência, no dia 05 o documentário Planet Ocean, dirigido pelos franceses Yann Arthus Bertrand e Michel Pitiot, será exibido na Universidade Federal Fluminense (UFF). O longa, com duração de 90 minutos, foi lançado mundialmente em 2012 durante o evento Rio+20 e explica um dos maiores mistérios naturais do planeta: o oceano. Imagens impressionantes de diversas partes do mundo como Nova Zelândia, França, Brasil (Rio de Janeiro), Espanha, Indonésia, Austrália, Havaí e Ilhas Maldivas mostram a importância dos oceanos para a manutenção da vida na Terra. A Energy Marcon em parceria com a Good Planet, detentora dos direitos do filme, objetiva despertar a conscientização ambiental nos alunos, professores e outros interessados.

Filme Planet Ocean
Local: Universidade Federal Fluminense – no auditório Macunaíma do Instituto de Letras, Campus Gragoatá , Bloco B, São Domingos – Niterói.
Data: 5 de junho, às 14h

Abaixo, o trailer do filme.

manchete

Foto/arte: divulgação

Primeiro registro audiovisual sobre a trajetória de uma das maiores redes de televisão do Brasil, “Aconteceu, virou Manchete” resgata os principais momentos históricos da emissora extinta em maio de 1999, que completaria 30 anos no dia 05 de junho. O documentário foi produzido por estudantes de jornalismo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), sob a direção de Fernando Borges.

No jornalismo, marcaram época os telejornais comentados e as coberturas históricas, como a do primeiro carnaval na Marquês de Sapucaí. Nomes como Paulo Stein, Márcio Guedes e Ronaldo Rosas se orgulham dos feitos alcançados nos 16 anos em que a Manchete esteve no ar. Já Alberto Léo fala da experiência em ter trabalhado com João Saldanha e da cobertura das Copas e Olimpíadas, além dos mais variados eventos esportivos transmitidos pela Rede. A produção conta com depoimentos de artistas e ex-funcionários. Foram entrevistados mais de 30 profissionais de diversas áreas. Grandes artistas como Lucinha Lins, José de Abreu, Tonico Pereira e Bemvindo Sequeira falam com saudades de programas e novelas que marcaram época. Atores como Marcos Winter, lembram-se de como foi alcançar o auge com sucessos como a novela Pantanal, que venceu o ibope da Rede Globo, ultrapassando os 40 pontos de audiência.  Maurício Sherman conta como descobriu Xuxa e Angélica, além da briga com o jornalista e empresário Adolpho Bloch (fundador da Manchete) para iniciar a dramaturgia da emissora.

Além do saudosismo retratado no filme, O Documentário “Aconteceu, virou Manchete!” também toca em assuntos polêmicos, como as diversas crises da emissora. A atriz Sandra Pêra, é um exemplo dos muitos profissionais que até hoje vivem uma briga na justiça para receber o que lhes é devido. Curiosidades como a retirada da TV do ar pelo sindicato dos radialistas também são contadas. No entanto, a empresa é vista até hoje com muito saudosismo – das histórias engraçadas do dono Adolpho Bloch até as brigas com a TV GLOBO na disputa pelo IBOPE.

O documentário contou com a colaboração de muitos ex-profissionais da Manchete, que viram a oportunidade de terem um pouco da “TV de Primeira Classe” de volta. Por conta disso, a estreia acontece no dia do aniversário da emissora, 5 de junho (quarta-feira), onde o público será formado por profissionais que construíram o sucesso da Rede. Um desses profissionais foi Luiz Santoro, âncora do Jornal da Manchete, que, antes da exibição do filme, falará sobre como foi a experiência de trabalhar na Manchete.

Serviço:
Aconteceu, virou Manchete!
Local: Auditório 91 da Uerj – 9º andar do Campus Maracanã
Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã
Dia: 05 de junho – 19 horas

Confira o trailer abaixo!

Foto: divulgação/site

Hoje tem exibição do documentário “Canções do Exílio – A Labareda que Lambeu Tudo“, de Geneton Moares Neto. Canções do Exílio relembra o período em que Gilberto Gil e Caetano Veloso viveram exilados em Londres, após terem sido presos no Rio de Janeiro, durante a ditadura militar, em 1968.

O filme é narrado pelo ator Paulo Cesar Peréio e tem participação dos compositores Jorge Mautner e Jards Macalé, que por caminhos diferentes foram visitar os amigos em Londres.

Em seguida haverá debate com Geneton e o jornalista Cid Benjamin, que participou da guerrilha contra a ditadura e passou nove anos exilado.

Local: auditório do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro
Rua Evaristo da Veiga, 16 – 17º andar – Cinelândia
Data: dia 16 de abril, a partir das 19h

Documentário na UERJ

Será exibido nesta quinta, 27, “Arquitetos do Poder”. O filme traça a relações entre mídia e poder no país. Por meio de depoimentos e imagens, é abordada a influência da comunicação na política e o tratamento dado pela imprensa nacional aos escândalos, desde a campanha de Getúlio Vargas e JK até o os dias de hoje.
A exibição faz parte do projeto UERJ em Casa, idealizado pela Divisão de Teatro do Departamento Cultural da Universidade (www.decult.uerj.br).
Direção: Vicente Ferraz e Alessandra Aldé
Local: Teatro Noel Rosa/Centro Cultural da UERJ  Rua São Francisco Xavier,
524 – Maracanã – Tel.: (21) 2334-0048
Data: 27 de maio de 2010, quinta-feira
Horário: 19h

Mais informações:

Hip hop na telona

O documentário “Lapa”, direção e roteiro de Cavi Borges e Emílio Domingos,  será exibido no dia 05 de maio na Faculdade CCAA. O filme retrata o universo do hip hop e o cotidiano de quem busca sobreviver de música no Brasil. A produção tem como cenário o bairro da Lapa, um dos mais tradicionais da cidade.

Local: Teatro da Faculdade CCAA – Av. Marechal Rondon, 1460 – Riachuelo

dia: 05/05/2010

Horário: 19h

Tel.: 2156-5000

%d blogueiros gostam disto: