| Apresentações de dança acontecem nos dias 10 e 11/03, no Centro Coreográfico do Rio, na Tijuca |

Foto: divulgação

Como surgiu o mundo e como chegamos até aqui? O espetáculo Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá” traz para o público o mito da criação do universo segundo as tradições culturais do povo iorubá. As apresentações acontecerão nos dias 10 de março, às 19h, e 11 de março, às 18h, no Teatro Angel Viana – Centro Coreográfico do Rio de Janeiro, na Tijuca, na Zona Norte do Rio.

Idealizado por Ana Catão – Aninha Catão -, bailarina e professora de dança afro, o projeto é patrocinado pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e realizado em parceria com o grupo Tambor de Cumba, com a proposta de fomentar o conhecimento sobre uma das diversas manifestações culturais africanas.

Baseado no trabalho do babalawo Marcelo Monteiro, a apresentação de dança aborda a criação do mundo e sua ligação com os orixás, por meio de danças específicas da cultura iorubana. Para isso, o espetáculo conta com a atuação de seis bailarinos que representam os elementos primordiais da criação da Terra, como o fogo, a água, a terra e o ar, assim como as divindades africanas, sob direção artística e também atuação de Aninha Catão.

O Tambor de Cumba
Fundado em 2011, por Aninha Catão, o Tambor de Cumba carrega em toda a sua trajetória o reconhecimento por promover as tradições culturais de matriz africana. O grupo é um dos pioneiros em atividades culturais no Cais do Valongo, hoje patrimônio mundial da UNESCO, promove a conscientização da cultura negra como resgate da identidade e integração social por meio das artes afro-brasileiras, sobretudo a dança, entre elas, o jongo, o coco, o samba de roda, a ciranda, o maculelê, a capoeira, o afoxé, o maracatu e a dança afro contemporânea.

Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Iorubá
Local: Teatro Angel Viana – Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro – Rua José Higino, 115 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Datas: dia 10/03, às 19h; dia 11/03, às 18h
Classificação: livre