Tag Archive: fotografia


| Evento de abertura acontece neste sábado, 25/05, e terá apresentações de Teresa Cristina e do projeto “Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs” com participação especial do músico Mateus Aleluia |
foto do Museu de Arte do Rio - MAR

Foto: divulgação

O Museu de Arte do Rio – MAR, na Praça Mauá, inaugura “O Rio dos Navegantes”, sua principal exposição de 2019, no dia 25 de maio com um grande evento. A mostra traz uma abordagem transversal da história do Rio de Janeiro como cidade portuária do ponto de vista dos diversos povos, navegantes e imigrantes que desde o século XVI passaram, aportaram e por aqui viveram. As aberturas da exposição e da sala de imersão “FLUXO” acontecerão às 16h. Às 19h haverá show do projeto “Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs“, que contará com a participação especial do músico Mateus Aleluia, remanescente do grupo original. Já o pocket show “Teresa Cristina Canta Paulinho da Viola” acontecerá às 20h.

O Rio Dos Navegantes ocupará integralmente o terceiro andar do pavilhão de exposições e a Sala de Encontro, localizada no térreo, até março de 2020, com visitação gratuita até o dia 25 de junho de 2019. O diretor cultural do MAR, Evandro Salles, é o idealizador e coordenador de curadoria, Francisco Carlos Teixeira, o consultor histórico. Também assinam a curadoria e a pesquisa Fernanda Terra, Marcelo Campos e Pollyana Quintella.

Foto da Entrada do Complexo de Refugiados da Ilha das Flores

Foto: Kurt Klagsbrunn/divulgação

“O Rio dos Navegantes” reúne cerca de 550 peças históricas e contemporâneas, entre pinturas, fotografias, vídeos, instalações, objetos, documentos, esculturas e outros itens. Estão confirmados trabalhos de artistas como Ailton Krenak, Antonio Dias, Arjan Martins, Augusto Malta, Belmiro de Almeida, Custódio Coimbra, Guignard, Iran do Espírito Santo, João Cândido (João Cândido Felisberto), Kurt Klagsbrunn, Lasar Segall, Mayana Redin, Mestre Valentim, Osmar Dillon, Rosana Paulino, Sidney Amaral, Virginia de Medeiros, além de jovens artistas como Aline Motta e Floriano Romano.

Entre os destaques da curadoria está um raro tapete feito pela Manufatura dos Gobelins – um complexo de oficinas dedicadas à produção de tapeçarias e mobiliários na França do século XVI. Também promete chamar a atenção do público um painel de cinco metros pintado em madeira pelo artista Carybé pertencente ao acervo do Museu do Ingá. Outro destaque é o desenho original de Hélio Eichbauer que foi transformado em um painel na emblemática montagem da peça O Rei da Vela, em 1967, e mais tarde virou capa do disco O Estrangeiro, de Caetano Veloso.

Foto: divulgação

Para ampliar a viagem pela história do Porto do Rio e seus desdobramentos, o museu firmou parceria com 37 instituições públicas e privadas, que cederam trabalhos para a exposição. Do Museu Nacional, destruído por um incêndio em 2018, virão 15 peças de diversas coleções da seção didática do museu, como conchas, corais, artefatos líticos e frascos que apresentam a biodiversidade da baía de Guanabara. Outro destaque é a vídeoinstalação do sul-africano Mohau Modisakeng, exibido na Bienal de Veneza de 2017. A obra simula barcos com figuras submersas e aborda o desmembramento da identidade africana pela escravidão, que promoveu violentos apagamentos de histórias pessoais.

“O Rio dos Navegantes” não se limita aos espaços tradicionais de exposição. Na rampa que leva o visitante ao pavilhão, por exemplo, o público já será ambientando à mostra por meio de uma das cinco obras comissionadas pelo MAR. Vozes, conversas e sons ambientes da Região Portuária foram reunidos pelo artista carioca Floriano Romano no trabalho “O Som do Porto”, que dá a dimensão da diversidade naquela região. Mais quatro trabalhos foram desenvolvidos pelos artistas Aline Motta, Carlos Adriano, Katia Maciel, Regina de Paula e Wilton Montenegro especialmente para a ocasião. A mostra também dá voz a personagens famosos e anônimos da região, como Arthur Bispo do Rosário, João Cândido, as polacas Berta, Esther e Rachel, o Dragão do Mar, os comerciantes árabes do mercado popular Saara, entre outros, que terão suas vidas narradas por meio de obras e documentos da época.

A exposição convida o público a refletir sobre os modos de vida que formaram o Rio de Janeiro, a relação entre cariocas e visitantes, a miscigenação, as formas de uso e democratização do espaço público e os conflitos geográficos, linguísticos, culturais, econômicos e políticos que estão presentes na cidade desde o século XVI. Documentos e imagens raras mostram indígenas escravizados construindo os Arcos da Lapa, evidenciam os problemas das enchentes do Rio desde o século XVI e questionam o mito da praia democrática, evidenciando tensões sociais no espaço público e as praias do subúrbio, como as do Caju, Ramos, Sepetiba e Ilha do Governador.

Sala imersiva “FLUXO” inaugura no mesmo dia

No dia 25 também será inaugurado o primeiro espaço imersivo do MAR. O objetivo é propor ao visitante uma experiência sensorial. A instalação de estreia foi desenvolvida por uma equipe multidisciplinar liderada pela diretora criativa Liana Brazil, da SuperUber. A sala localizada no primeiro andar do pavilhão de exposições é uma aposta da direção do museu por meio de sua diretora executiva, Eleonora Santa Rosa, e faz parte de um novo núcleo de trabalho da instituição. FLUXO é uma experiência imersiva que explora o movimento contínuo, fluido, espontâneo. Ao entrar na sala escura, o visitante perceberá que suas pegadas criam rastros que o conectam a um núcleo onde imagens e sons inspirados na exuberante natureza do Rio de Janeiro surgem de todos os lados. Constelações, águas, tempestades e traçados ancestrais são projetados em telas que envolvem o público e o transportam para um espaço-tempo outro, fora da história, livre de começos-meios-fins.

“Esse projeto é um experimento criado a partir de conversas com grupos de jovens convocados pelo museu, visando atrair novos públicos. Possui uma dimensão poética, epifânica e sensorial, que traz no seu âmago essa ideia de fluxo, pois cria conexões e movimentos por meio de uma movimentação contínua”, explica Eleonora Santa Rosa. Liana Brazil completa: ‘Esse tipo de arte está cada vez mais presente nos museus do mundo, e, com a inauguração dessa instalação, o MAR entra na onda da interdisciplinaridade da arte’, observa.

Programação:
16h: Abertura da exposição “O Rio dos Navegantes”
16h: Abertura da sala de imersão “FLUXO”
19h: Show do projeto Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs – com a participação especial do músico Mateus Aleluia, remanescente do grupo original
20h: Pocket show Teresa Cristina Canta Paulinho da Viola
Entrada: Visitação gratuita de 25 de maio a 25 de junho/2019
Horário de funcionamento: às terças-feiras o MAR funciona com horário estendido, das 10h às às 19h. Quarta a domingo, das 10h às 17h. Às segundas-feiras o museu fecha para o público.
*No sábado, 25 de maio, o museu funcionará em horário especial, das 16h às 21h, por conta da abertura da exposição e da sala imersiva.
Local: Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, 5 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Informações: pelo tel. 21 3031-2741 ou site http://www.museudeartedorio.org.br

Obs.: a entrada no MAR é gratuita às terças-feiras durante todo o ano. *Entre os dias 25 de maio e 25 de junho de 2019 a entrada será gratuita em todos os dias de funcionamento.

| Mostra abre no dia 23 de abril e reúne itens como retratos, partituras, discos e uma flauta do músico |

Imagem: Pixinguinha, 1967. Foto de David Drew Zingg / Acervo IMS / reprodução internet

Compositor, instrumentista, arranjador e maestro, Pixinguinha (1897-1973) é personagem fundamental na história da música brasileira. Sua vida e obra serão relembradas na exposição “Pixinguinha – Naquele tempo, hoje e sempre“, que o Instituto Moreira Salles do Rio inaugura no Dia Nacional do Choro, 23 de abril, às 17h. A data é consagrada como a do nascimento do compositor – embora pesquisa recente, realizada pelo pianista Alexandre Dias, aponte 4 de maio como o dia mais provável.

No dia da abertura, às 17h30, o músico Antônio Rocha tocará uma flauta que pertenceu a Pixinguinha. O instrumento é um dos itens exibidos na mostra, que também reúne partituras, discos e objetos pessoais de Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha. O conjunto integra o acervo do músico, sob a guarda do IMS desde 2000. A seleção ainda apresenta dez retratos feitos por fotógrafos cujas coleções também estão no Instituto Moreira Salles. A curadoria da exposição é de Luiz Fernando Vianna, coordenador da Rádio Batuta, a rádio de internet do IMS.

“Conhecer mais Pixinguinha é conhecer o que há de melhor na música brasileira. O público poderá ouvir suas composições e interpretações, além de ver preciosidades do seu acervo pessoal. É uma espécie de imersão na vida e na obra dele”, afirma o curador.

Um dos destaques da exposição, a flauta, da marca Barlassina & Billoro, foi a última tocada por Pixinguinha. No início da década de 1940, ele trocou de instrumento e adotou o sax-tenor. Sob encomenda do IMS, a flauta foi restaurada neste ano pelo músico Franklin Corrêa, o Franklin da Flauta. Na exposição há um vídeo no qual Corrêa explica o processo de restauro.

Também estão presentes quatro partituras originais escritas por Pixinguinha. Há, por exemplo, uma página do arranjo que ele fez em 1938 para sua composição mais célebre, “Carinhoso”. “Ele criou, a partir do final da década de 1920 e ao longo dos anos 1930, uma escola brasileira de arranjos”, diz Vianna. “A identidade sonora de sambas e marchinhas deve muito a Pixinguinha, que também desenvolveu um jeito nosso de gravar valsas, foxtrotes e outros gêneros não nascidos aqui.”

Os retratos selecionados para a mostra são de autoria de Walter Firmo, David Drew Zingg e Maureen Bisilliat, três dos grandes fotógrafos que integram o acervo do IMS. Um dos retratos, feito por Firmo para a revista Manchete, é a imagem mais célebre de Pixinguinha: ele com seu saxofone na mão, sentado em uma cadeira de balanço, no quintal de casa. Em vídeo que está na exposição, Firmo conta os bastidores da foto.

Em um tablet, o público pode ouvir oito músicas que formam um panorama da trajetória de Pixinguinha: de uma gravação de 1914, quando ele tinha 17 anos e já era admirado como flautista, até uma de 1950 em que ele canta, fato raro. Na seleção está “Rosa”, na voz de Orlando Silva. O famoso duo com Benedito Lacerda – um no sax, outro na flauta – está representado por “Ele e eu”, registro lançado em 1947.

Objetos pessoais estão em uma das vitrines: chapéus, gravatas-borboleta, abotoaduras, caneta e outros. As páginas do passaporte têm carimbos de Paris e Buenos Aires, remetendo às importantes viagens do conjunto Oito Batutas entre 1922 e 1923. Na outra vitrine, estão discos em 78 rpm e LPs que fazem parte do acervo de música do IMS. E, ainda, o contrato que Pixinguinha assinou com a RCA Victor Talking Machine Company of Brazil em 1929, tornando-se o primeiro arranjador brasileiro contratado por uma gravadora internacional.

Além dos vídeos citados, são exibidos outros registros audiovisuais produzidos pelo IMS, como o que reúne interpretações de “Carinhoso” nas vozes de Chico Buarque, Zélia Duncan, Joyce Moreno, Carminho e Monarco.

Também há uma cronologia preparada a partir das informações disponíveis no site pixinguinha.com.br. Lançado pelo IMS em 2017, o site é o mais completo banco de informações sobre o instrumentista e compositor. Usando um leitor de QR Code no celular, o visitante da exposição poderá acessar o site e também conhecer a série de 14 programas Pixinguinha na pauta, da Rádio Batuta.

Ao reunir esse conjunto variado, o IMS reforça a importância do legado do artista, um dos grandes nomes da música nacional, como ressalta o historiador Ary Vasconcelos, em sua famosa frase: “Se você tem 15 volumes para falar de toda a música popular brasileira, fique certo de que é pouco. Mas, se dispõe apenas do espaço de uma palavra, nem tudo está perdido; escreva depressa: Pixinguinha.”

Exposição “Pixinguinha – Naquele tempo, hoje e sempre”
Abertura: dia 23/04, às 17h; Apresentação do músico Antônio Rocha: 17h30
Local: Instituto Moreira Salles (IMS Rio) – Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea – Rio de Janeiro/RJ – Tel.: (21) 3284-7400
Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados (exceto segundas-feiras), das 11h às 20h
Visitação: até 3 de novembro de 2019

| Em exposição com fotografias, esculturas e videoinstalação, artista norueguesa Thora Dolven Balke faz reflexão sobre o corpo humano e suas situações de extrema vulnerabilidade |

Foto: divulgação

No dia 24 de janeiro a Galeria Cavalo, em Botafogo, apresenta “Flow“, primeira exposição individual no Brasil com trabalhos inéditos da artista norueguesa Thora Dolven Balke. Através de fotografias, esculturas e uma videoinstalação, as obras partem de uma reflexão da artista sobre o corpo humano e suas situações de extrema vulnerabilidade. Thora trabalha desde 2012 desdobrando seus registros analógicos e digitais em trabalhos esculturais.

“Flow é um estudo sobre corpos como sistemas de fluidos, intercalando registros pessoais de eventos de fragilidade e cuidado (como gravidez, parto, enfermidade, luto) com cenas de animais marinhos e moldagem de fontes. São rostos de pedra coletados do Museu do Açude e posteriormente refeitos em resina pigmentada, uma iconografia que a artista visitou frequentemente e despertava sua curiosidade desde que se mudou para o Rio de Janeiro, há 3 anos.

Uma prática constante no trabalho de Thora são as fotografias Polaroid, que também expõe em sua individual. Nelas, imagens profundamente íntimas são, pela primeira vez, justapostas por uma moldura personalizada de silicone, simulando propriedades e sensações da pele humana. A videoescultura presente no chão da galeria exibe cenas de uma carcaça de baleia branca encontrada no extremo norte da Noruega.

Thora Dolven Balke nasceu em Oslo e começou sua carreira em 2005. Desde então, exibiu constantemente na Noruega e internacionalmente. Em 2008 foi parte da exposição ‘Lights On – Norsk Samtidskunst’, no Museu Astrup Fearnley. Seu trabalho foi apresentado como parte de ‘The Collectors’, no Pavilhão Nórdico da Bienal de Veneza de 2009. Ela foi uma das duas curadoras da bienal ‘Lofoten International Art Festival’, em 2011, e co-fundadora do espaço REKORD, em Oslo, de 2006 a 2010.”

Exposição ‘Flow’ – de Thora Dolven Balke
Abertura: dia 24/01, às 18h
Período: de 24/01 a 16/03 de 2019
Horário de visitação: terça a sexta-feira, das 12h às 20h; sábados, das 13h às 17h
Local: Galeria Cavalo – Rua Sorocaba, 51- Botafogo – Rio de Janeiro – RJ – Tel.: 21 2267-7654

| Evento musical e gastronômico terá shows de Azymuth e Nepal e cortejos do Technobrass e Bagunço |

Foto: reprodução Facebook

O Jazz Carnival Festival acontece hoje (14 de dezembro), na Tribuna Social do Jockey Club Brasileiro, na Gávea. O evento musical e gastronômico na Zona Sul carioca começará às 17h e terá cervejas artesanais, food trucks e boa música com curadoria da JAZZ AHEAD E O’LIVE. O público poderá curtir shows de Azymuth, Nepal, cortejos do Technobrass e Bagunço, além do som dos DJs da Manie Gang (Manie Dansante). Além disso, workshop ministrado por Tom Ashe, exposição de fotos e apresentação do Favela Brass.

Para retirar sua cortesia, acesse o link https://jazzcarnivalfestival.eventbrite.com.br e salve o ingresso no telefone celular ou app.

Jazz Carnival Festival
Local: Tribuna Social do Jockey Club Brasileiro – Praça Santos Dumont, 31- Gávea – Rio de Janeiro/RJ
Data: dia 14/12 (sexta-feira)
Horário: 17h a 01h
Obs.: Proibida a entrada com chinelos, blusas de time, regata e propaganda política. Comidas e bebidas não serão oferecidas gratuitamente.

| “Jota Rodrigues – A Arte da Vida Atrevida” fica em cartaz de 1º/11/2018 a 3/03/2019 |

Foto: Francisco Moreira da Costa – Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular 

O poeta pernambucano radicado em Nova Iguaçu Jota Rodrigues, falecido em fevereiro deste ano, será homenageado em uma exposição idealizada pelo Sesc RJ, que será inaugurada no dia 1º de dezembro, em sua unidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A mostra, batizada de “Jota Rodrigues – A Arte da Vida Atrevida”, aborda a vida e a obra do cordelista, que, além de autor de mais de 400 títulos, também foi xilógrafo, gráfico, músico e estudioso de fitoterapia. Idealizada pelo Sesc RJ, a exposição tem a curadoria do antropólogo Ricardo Gomes Lima, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ.

A exposição conta a história de Jota por meio de um painel ilustrado e apresenta sua vasta produção artística. Entre as peças que serão exibidas estão manuscritos, fotografias, folhetos de cordel escritos e impressos pelo próprio artista, matrizes em madeira, xilogravuras em papel e tecido e registros etnográficos dos diversos conjuntos musicais criados por ele. A mostra também adentra no mundo das plantas medicinais que ele estudava e cultivava em seu jardim para distribuir a amigos e vizinhos. O acervo pertence à Maria Aparecida de Oliveira, filha do artista.

Cidadão Iguaçuano, patrono de bibliotecas e premiado pelo MinC– Pernambucano de Águas Belas, pai sertanejo e mãe da etnia Carijó/Fulni-ô, Jota Rodrigues chegou à Baixada Fluminense em 1964. Estabeleceu-se com mulher e filhos em Nova Iguaçu, na região do Morro Agudo (hoje Comendador Soares). Faleceu em 22 de fevereiro de 2018, não sem antes ter seu valor reconhecido na região que escolheu para viver e também nacionalmente. Foi patrono e deu nome a diversas bibliotecas escolares e comunitárias da região e, em 2007, recebeu o Prêmio Culturas Populares, do Ministério da Cultura. Em 2009 a Câmara Municipal de Nova Iguaçu lhe concedeu o título de Cidadão Iguaçuano. Em 2018, recebeu homenagem póstuma na 8ª Conferência Municipal de Nova Iguaçu. O município receberá a exposição em março de 2019, também na unidade do Sesc.

Bate-papo com a filha e pesquisadores – A abertura da exposição, neste sábado (1/12), às 15h, contará com um bate-papo sobre a vida e a obra do artista. O encontro reunirá a filha, Maria Aparecida, o curador Ricardo Lima e a pesquisadora Cáscia Frade (UERJ). Como os três conviveram com Jota Rodrigues e estudaram a sua obra, o tema será as características do trabalho do artista, assim como aspectos da sua vida pessoal e profissional. Conterrâneo do homenageado, nascido no mesmo município, o ator e cordelista Edmilson Santini fará uma intervenção artística baseada na obra do poeta.

Exposição Jota Rodrigues – A Arte da Vida Atrevida
Local: Sesc Duque de Caxias – Rua General Argolo, 47 – Jardim 25 de Agosto/RJ – Tel.: 21 3659-8377
Abertura: dia 1/11/2018, às 15h
Visitação: de terça a sábado (exceto feriados), das 8h às 17h
Período: até 03/032019
Classificação indicativa: livre

Mostra reúne fotos não conhecidas pelo público, réplicas de objetos pessoais e músicas de diversas fases da carreira do artista |
Foto em preto e branco de Cazuza cantando em um palco

Foto: divulgação

No ano em que completaria 60 anos, Cazuza ganha uma exposição especial Teatro Firjan SESI Centro sobre sua vida e obra. Até o dia 14 de dezembro o público poderá conferir momentos de sua infância e juventude, o início da carreira com o Barão Vermelho e a fase da carreira solo. Com acervo da Fundação Viva Cazuza, a mostra conta com alguns objetos e fotos de momentos do artista não tão conhecidos do público em geral.

A exposição é dividida em seis fases diferentes da vida do cantor e compositor. São muitas curiosidades desde antes até do nascimento, como a origem do apelido pelo qual ficou famoso, que ganhou do pai ainda na barriga da mãe. Ele só passou a gostar do nome verdadeiro – Agenor de Miranda Araújo Neto – bem mais tarde, quando descobriu que um de seus compositores prediletos também se chamava Agenor. Outro fato interessante dele ainda menino é que, junto com o jornalista Pedro Bial, seu amigo de escola, entrevistou um dos maiores poetas brasileiros.

Foto em preto e branco de Cazuza de óculos escuros

Foto: divulgação

A mostra também conta a evolução artística de Cazuza, a indicação de Léo Jaime para fazer parte da banda que viria a ser o Barão Vermelho e o ápice da banda no Rock in Rio de 1985. Uma semana após a separação da banda ele foi internado e recebeu uma visita de um beija-flor em seu quarto. Foi a inspiração para um dos seus sucessos da carreira solo, “Codinome Beija-Flor”. O público também verá os momentos em que ele já estava doente e debilitado, mas ainda produzindo obras como “O tempo não para”.

A exposição disponibiliza fones de ouvido com clássicos de Cazuza para o público desfrutar, além de um painel com uma foto do artista em tamanho real, em que é possível tirar uma foto com ele. Ao longo de toda a mostra há vários bloquinhos com frases (versos) de letras de suas canções, que as pessoas podem destacar e levar pra casa.

Durante todo o mês de novembro, os teatros Firjan SESI vão receber shows especiais para cantar a obra de Cazuza. Amigos e parceiros dele, como George Israel, formam a banda “Cajueiros” e apresentam ao público as canções mais clássicas, como “Brasil” e “Ideologia”. Roberto Menescal, Leila Pinheiro e Rodrigo Santos vão apresentar o espetáculo “Faz parte do meu show”, renovando a obra do artista e interpretando seus maiores sucessores em ritmo de bossa nova. O Bloco Exagerado vai promover uma mistura de ritmos para mostrar que Cazuza tem muita afinidade com o Carnaval, fazendo uma festa com chocalhos, surdos, triângulos e tamborins. A entrada dos shows custa R$10 e a programação completa pode ser vista no site www.firjan.com.br/guiadecultura.

Exposição Cazuza 60 anos
Local:
 Teatro Firjan SESI Centro – Avenida Graça Aranha, nº 1 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: segunda a sexta, até 14 de Dezembro de 2018
Horário: 10 às 19h
Classificação: livre
Mais informações: Tel.: 21 2563-4163

| Mostra assinada pelo fotógrafo Renato Júnior fica em cartaz até o dia 16 de setembro |

Foto: Renato Júnior

Histórias de casais de diversas partes do Rio de Janeiro se encontram na mostra fotográfica “Espalhe Amor”, em cartaz até o dia 16 de setembro, no Shopping Jardim Guadalupe. A exposição reúne cerca de 72 cliques do fotógrafo Renato Júnior. Os clientes poderão conferir os belos registros de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 13h às 21h.

“Nosso objetivo com essa exposição é mostrar como o amor transformou a vida destes casais e inspirar os visitantes a viverem este sentimento tão puro e raro nos dias de hoje”, conta Guilherme Cezario, coordenador de marketing do empreendimento. Ao todo, ensaios de 18 casais foram compilados e fazem parte da mostra.

Uma das histórias que a exposição conta é a do casal Danyelle e Wellington (foto). Ela, uma moça comunicativa. Ele, um rapaz tímido e apaixonado por música. Ambos se conhecem há sete anos e sempre frequentaram a mesma igreja, mas passaram cinco sem nunca terem conversado. Até que, num belo dia, um amigo em comum decidiu dar uma força para a formação do casal e convidou os jovens para um lanche. Depois de meses de conversa, o sentimento surgiu, e começaram a namorar. Baterista desde criança, Wellington sonha que Danyelle aprenda a tocar o instrumento para compartilharem mais essa paixão. Nas fotos de Renato Júnior a bateria se transformou no elemento de destaque, tornando o pedido de casamento ainda mais emocionante.

Sobre Renato Júnior
O fotógrafo tem 25 anos, é morador de Bangu e nascido e criado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Por fazer parte de uma área carente de centros e eventos culturais, Renato sempre teve vontade de lançar novos projetos na região. Formado em publicidade e propaganda, atua no mercado da fotografia há mais de cinco anos e é especializado na produção de imagens de casais. “Quero mostrar através dessas histórias o amor que existe entre os casais, mesmo que com todas as diferenças, encontra-se um ponto em comum, o AMOR! Foi pensando nisso que nasceu a ideia do Projeto Fotográfico “Espalhe Amor”. Como espalhar amor? Bom, eu costumo dizer que temos que usar as ferramentas que estão ao nosso alcance para fazer o bem. No meu caso, a ferramenta é a câmera, a lente fotográfica e muita vontade de capturar momentos apaixonados!”, conta Renato.

Exposição “Espalhe Amor”
Local: Shopping Jardim Guadalupe – Avenida Brasil, 22.155 – Guadalupe – Rio de Janeiro/RJ – Tel.: (21) 3512-9100
Período: até 16 de setembro de 2018
Horário: segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 13h às 21h

————————————————————
Anúncios – *Ofertas válidas por tempo indeterminado:

foto de máquina fotográfica Canon

Acesso gratuito em agosto e às terças de 2018 no espaço voltado para inovação e empreendedorismo |

Foto: Paula Johas

A exposição “Transformação”, que fica em cartaz até dezembro deste ano, marca a primeira atividade cultural da Casa Firjan, espaço voltado para inovação e empreendedorismo inaugurado no dia 3 de agosto, em Botafogo, na Zona Sul carioca. A exposição apresenta a história da indústria e do empreendedorismo no Rio de Janeiro e no Brasil e seu poder de transformação ao longo dos anos. Em meio a fotografias, painéis digitais, esculturas e atividades interativas, o público é convidado a fazer um passeio pelo desenvolvimento da indústria e do mercado de trabalho brasileiro, incluindo a trajetória de seus principais empreendedores e a introdução de novas tecnologias, como Blockchain (rede de dados) e inteligência artificial.

A mostra acontece de terça a sexta-feira, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 17h. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (estudantes, público acima de 60 anos e moradores de Botafogo). A entrada é gratuita durante todo o mês de agosto e todas as terças-feiras do ano, além de gratuidade para professores e guias de turismo.

A programação cultural tem a missão de abrir um diálogo constante com a sociedade. A exposição “Transformação” permite que o visitante entre em contato com o passado, o presente e o futuro da indústria e do empreendedorismo, sendo levado a refletir sobre os desafios da nova economia e do mercado de trabalho. “O mundo está se transformando muito rapidamente, por isso a importância de um espaço que ofereça educação, cursos, palestras, workshops, projetos de inovação e também atividades culturais que engajem as pessoas à nossa proposta”, explica o gerente da Casa Firjan, Gabriel Pinto. “Quais serão as profissões do futuro? Quais serão as áreas de conhecimento determinantes? Quais serão as novas capacidades exigidas? São provocações que fazemos na Casa Firjan e também em nossa primeira exposição”, conclui Gabriel.

Exposição “Transformação”
Local: Casa Firjan – Rua Guilhermina Guinle, 211 – Botafogo
Período: até dezembro de 2018 / terça a sexta-feira, das 10h às 20h / sábado, das 10h às 17h / domingo e segunda: exposição fechada para visitação
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (estudantes, público acima de 60 anos e moradores de Botafogo) / Entrada gratuita durante todo o mês de agosto e todas as terças-feiras do ano / Gratuidade para professores e guias de turismo

Clique em “leia mais” ou em “View full article” e saiba mais sobre as três mostras que integram a exposição.

Continue lendo

| Evento reúne exposição fotográfica, cinema, workshop cultural, competição de K-Pop e teatro |

Foto: divulgação

Da série “não é de graça, mas é quase”:

Em função do crescente interesse pela história, tradições culturais e dos recentes acontecimentos na península coreana, o Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), no Centro do Rio, recebe, de 4 a 10 de julho, a 1ª Mostra de Cultura Coreana do Rio de Janeiro. Entre as atividades estão exposição fotográfica, *exibição de filme, *workshop sobre a cultura do país, *competição de K-Pop e *teatro. O evento acontece em caráter solidário ao Retiro dos Artistas. Os ingressos para algumas atividades custarão 1 (um) quilo de alimento não perecível. Confira na programação.

A exposição fotográfica “Arirang: Olhares sobre a Coreia” traz registros sobre a Guerra da Coreia, cúpulas intercoreanas, imigração coreana no Brasil e cultura coreana em geral. Também serão apresentadas obras do fotógrafo sul-coreano Song Kwang Chan, do fotógrafo brasileiro Bruno Costa e do poeta coreano Kyung Joo Lee. A curadoria é de Marcelle Torres.

Filme Zona de Risco (de Park Chan-wook)– Após a morte de um soldado durante um conflito armado, as coreias do Sul e do Norte concordam colocar uma detetive de ascendência coreana-suíça na investigação. Ela se depara com problemas disciplinares e com segredos de Estado.

Imersão Cultural Coreana / workshop – Em parceria com o Instituto Nam Ho Lee, o workshop conta com atividades de iniciação à língua coreana, palestra sobre a história da Coreia e brincadeiras típicas do país.

Competição Cover de K-Pop / show – Apresentada por Douglas Passos, a competição cultural cover de dança pop coreana contará com grupos de admiradores do gênero K-Pop, apresentando músicas e danças.

Para Além da Fronteira – A peça teatral conta a história de uma família separada há mais de 65 anos e um casal de jovens em um romance impossível. Separados pela mesma guerra em diferentes gerações, Woo-jin é um professor com carreira promissora na Coreia do Sul e Yeon uma proeminente professora na Coreia do Norte. A direção é de Bruno Petran.

1ª Mostra de Cultura Coreana do Rio de Janeiro
Local: Centro Cultural Justiça Federal – Avenida Rio Branco, 241 -Centro – Rio de Janeiro/RJ – Tel.: 21 3261-2550
Período: de 04 a 10/07/2018 (conforme programação)
Horário: conforme programação

Clique em “leia mais” ou em “View full article” e veja a programação completa. 

Continue lendo

| Programação inclui Técnica Pinhole, Laboratório P&B, Fotografia Básica, Lightroom, Fotografia Autoral e de Espetáculos |

Foto: reprodução internet

Da série “não é de graça, mas é quase”:

A Faculdade de Fotografia da Universidade Estácio de Sá (UNESA) do Campus Madureira, na Zona Norte do Rio, promove aulas abertas ao público, de 30 de junho a 3 de agosto, das 15h às 18h. Os alunos poderão participar de aulas expositivas que mesclam teoria e prática. A programação, com total de 15 horas, inclui Técnica Pinhole, Laboratório P&B, Fotografia Básica, Lightroom, Fotografia Autoral e de Espetáculos. O ingresso para cada aula será 1 (um) quilo de alimento não perecível.

Programação:
Dia 30/07 (segunda-feira): Técnica Pinhole e Laboratório Preto e Branco – Professor Luciano Laner
Dia 31/07 (terça-feira): Fotografia Básica – Professor Marcus Vini (Coordenador Acadêmico de Fotografia da UNESA)
Dia 01/08 (quarta-feira): Lightroom – Professor Eugênio Laurenzano
Dia 02/08 (quinta-feira): Fotografia Autoral – Professor Rômulo Corrêa
Dia 03/08 (sexta-feira): Fotografia de Espetáculos – Professor Michael Meneses

Aulas Abertas da Faculdade de Fotografia da Unesa Campus Madureira
Local: Unesa Campus Madureira Shopping – Estrada do Portela, 222 – sexto piso – Madureira – Rio de Janeiro/RJ – Tels.: 4003-6767 (capitais e regiões metropolitanas); 0800 880 6767 (demais regiões)
Ingresso: 1 (um) quilo de alimento não perecível por aula
Período: de 30/07 a 3/08
Horário: das 15h às 18h

Siga o blog nas redes sociais:
– Facebook.com/degracaeuvou
– Twitter.com/degracaeuvou
– Instagram.com/degracaeuvou
@degracaeuvou

| Aberturas de “Beijo”, “fragmentos diários” e “O Jardim de Maria” acontecem no dia 31/07, na Glória |

No dia em que completa dois anos, 31 de julho, a Galeria Oriente (GO), na Glória, inaugura uma exposição coletiva e duas individuais. “Beijo” reúne nove fotógrafos representados pela GO: Ana Carolina Fernandes, Ana Dalloz, Anna Kahn, Fábio Seixo, Kitty Paranaguá, Paulo Marcos, Rogério Reis, Thiago Barros e Walter Carvalho. Eles foram convidados a produzir imagens inéditas, inspiradas na centenária tela “O Beijo”, de Gustav Klimt. As individuais são “fragmentos diários”, do artista visual demps, e “O Jardim de Maria”, série ganhadora do melhor portfólio do FotoRio 2017, do fotógrafo e designer gráfico Pedro Kuperman. O evento de abertura acontecerá das 18h às 21h. A visitação, do dia 1º de agosto ao 1º de setembro, de segunda a sábado, das 14h às 19h.

Vinculada ao Ateliê Oriente, onde se encontram aqueles que têm a fotografia e a imagem em seus radares, a GO realizou volumosas 13 exposições e 13 performances e conversas sobre arte no período, e segue com a agenda abarrotada até o final do ano. “Estamos muito felizes em completar dois anos, em especial por sempre ter recebido muito apoio do meio artístico de diversas formas, e esperamos que isso seja só o começo. Que a Galeria Oriente continue abrigando, cada vez mais, as várias manifestações da produção artística atual”, diz a galerista Adriana Braga, que está à frente da GO desde a inauguração.

Novos olhares para “Beijo”, de Klimt – Uma das obras mais famosas do pintor austríaco, “Beijo” reúne o feminino e o masculino, com as suas formas arredondadas e retangulares, definindo os gêneros em comunhão e desigualdade. Com 110 anos de existência, a pintura, que integra a coleção de uma galeria em Viena, serviu para inspirar novas imagens feitas pelas lentes dos nove fotógrafos.

“Desenvolvo esse ensaio há dois anos, bem devagar – porque a cumplicidade e o respeito que procuro dos fotografados em relação a mim não se estabelece de um dia para o outro. Com ele, busco a autenticidade, a dignidade e a liberdade de pessoas que a sociedade insiste em manter invisíveis”, defende Ana Carolina Fernandes, que vai regularmente a uma boate na Baixada Fluminense atrás de registros sobre o universo LGBT e, há mais de 15 anos, fotografa um casarão na Lapa carioca habitado por travestis. A imagem eleita nos leva para dentro de um beijo através do espelho, como se, indiscretos, espiássemos por uma brecha.

“A fotografia é um passaporte mágico que possibilita uma viagem para novos mundos. Dessa forma conheci um pouco da realidade de Bruna Marx. Ela é trans, feminista, militante e presidente do conselho LGBT de Niterói. Na ativa da Marinha há 21 anos, Bruna abriu um processo para voltar a trabalhar e evitar a aposentadoria por incapacidade. Suas lutas são muitas, ela conta que ‘o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo, três vezes mais que o México, que ocupa segundo lugar. Na ditadura, éramos caçadas e assassinadas. Até hoje essa é a batalha: continuar viva e fazer parte da sociedade. A estimativa de vida de uma pessoa trans é de 35 anos, sou uma sobrevivente aos 38 anos’. Na foto, Bruna recebe um beijo do marido Gustavo, com quem vive há sete anos”, diz Anna Kahn, cujos olhos sempre se voltam às queixas do mundo.

Fábio Seixo ampliou um quase beijo entre Jair Bolsonaro e Túlio Feliciano e embalou a foto com a logomarca “United Colors of Benetton”, fazendo uma crítica bem humorada à dupla de políticos que não reconhece as diferenças. Já Kitty Paranaguá e Walter Carvalho optaram por uma visão mais poética. “Adoro um beijo! Beijar é estar próximo do outro, é diálogo, é intimidade, é delicadeza, é resistência e é lugar conquistado. Meu beijo é uma homenagem ao amor livre, às escolhas de cada um”, aponta Kitty, cuja imagem recorta um clima amoroso entre duas mulheres. “Tem todos os beijos: abstrato, úmido, pétala, amargo, público, inventado, mentiroso, profundo, cósmico, sonhado, escondido… Agora, aquele que vira imagem não é beijo, é miragem”, filosofa Waltinho.

Individuais com consistência
Primeira individual de demps, artista visual autodidata, “fragmentos diários” é um recorte de trabalhos realizados diariamente, utilizando diferentes suportes e investigando as aproximações entre o fazer artístico e o cotidiano, sempre em busca de possibilidades narrativas entre o real e o imaginário. São produções a partir de práticas de documentação que pretendem abordar as imprecisões da linguagem.
Ao todo, demps vai expôr quatro trabalhos: o vídeo “mneminutos (composição I)”, realizado com base em uma pesquisa iniciada em 2012; “poéticotidiano”, uma instalação de fotografias que compõe um diário imagético; “sobretexto”, série de textos datilografados com a ideia de poesia visual; e a escultura “silêncio tecido”.

O Jardim de Maria”, ganhadora do melhor portfolio do FotoRio 2017 e primeira individual do fotógrafo e designer gráfico Pedro Kuperman, é uma série de imagens em preto e branco com um jogo de luz e sombras que se desenrola no jardim, uma homenagem à Maria, esposa falecida do dono do jardim. A curadoria é do colecionador Joaquim Paiva. A mostra também foi finalista na bolsa Magnum 70th Rio Workshops 2017 e selecionada para compôr o Festival de La Luz, em Buenos Aires, em 2018.

Dois anos da Galeria Oriente  – Exposições fotográficas “Beijo”, “fragmentos diários” e “O Jardim de Maria”
Período: abertura – dia 31/07, das 18h às 21h; visitação –  do dia 1/08 ao 1/09, de segunda a sábado
Horário: visitação (das 14h às 19h)
Local: Galeria Oriente – Rua do Russel, 300 / 401 – Glória – Rio de Janeiro/RJ – Tel.: 21 3495.3800

Siga o blog nas redes sociais:
– Facebook.com/degracaeuvou
– Twitter.com/degracaeuvou
– Instagram.com/degracaeuvou
@degracaeuvou

| Serão exibidas 25 produções do cineasta francês, que participará de palestra e bate-papo no evento|

Foto: divulgação

O Centro Cultural Banco do Brasil recebe a “Mostra Depardon Cinema”, que reúne 25 produções, entre documentários, ficção, curtas e longas-metragensde 3 a 22 de janeiro. O deserto, as instituições, o mundo rural, a política, a justiça e a psiquiatria são alguns dos temas abordados pelo cineasta Raymond Depardon, de 75 anos de idade. Produzidas entre 1969 e 2017, a seleção inclui obras de destaque de sua carreira, como “12 Dias”, seu filme mais recente, exibido no Festival de Cannes de 2017.

O cineasta Raymond Depardon estará no Rio para a mostra e se encontrará com o público em dois momentos: no dia 17 de janeiro, às 18h, ele participará de uma visita guiada à sua exposição de fotografias, “Un moment si doux”, que ocupa o CCBB, seguida de palestra sobre o filme “12 Dias”. No dia 19, às 18h, haverá um bate-papo com o francês e a cineasta brasileira Maria Augusta Ramos sobre o longa “Presos em flagrante”, que também será exibido no encontro. As senhas serão distribuídas uma hora antes.

Autoretrato do fótografo e cineasta francês Raymond Depardon

Foto: Raymond Depardon/Magnum Photos

Un moment si doux”, em cartaz até o dia 5 de fevereiro deste ano, faz parte da retrospectiva em homenagem a Depardon. São 170 imagens em cores e dimensões variadas, entre paisagens, autorretratos e personagens de diferentes países da Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Produzidas entre 1950 e 2013, sendo a maior parte inédita, as imagens estiveram expostas entre 2014 e 2015 no imponente Le Grand Palais, em Paris, no museu MUCEM, em Marselha, e, recentemente, no Centro Cultural Recoletas, na Argentina.

Mostra Depardon Cinema
Período: de 03/01/2018 a 22/01/2018
Horário: quarta-feira a segunda-feira, das 15h45 às 21h, conforme programação
*Retirada de ingressos uma  hora antes do início das sessões

Exposição Un Un moment si doux
Período: até o dia 05/02/2018
Horário: quarta a segunda-feira, das 9h às 21h

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – CCBB RJ – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro-RJ – Tel.: (21) 3808-2020

Clique em “leia mais” ou em “View full article” e confira a programação da mostra Mostra Depardon Cinema.

Continue lendo

| Evento faz parte do projeto “Celebridade Pet”, que realiza ensaios fotográficos com cães e gatos de abrigos |

Foto: Jayme Rocha / divulgação

Em busca de uma maior conscientização em torno da adoção de animais, o Center Shopping Rio, em Jacarepaguá, promove a exposição fotográfica “Amores Vira-latas“, de Jayme Rocha. O evento acontece no Center Cultural (3º piso), de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 11h às 21h.

A mostra é fruto do projeto “Celebridade Pet“, idealizado há dois anos pelo fotógrafo Jayme Rocha, com o objetivo de conseguir uma maior adesão das pessoas na adoção de cães e gatos de abrigos. Para isso, Jayme realiza ensaios fotográficos com o uso de diversos acessórios nos animais para chamar a atenção da população para a causa.

No espaço, o público poderá conferir 21 imagens de animais das ONGs Adota Petz, Paraíso dos Focinhos, Abrigo João Rosa, Proteção Animal Niterói, Adote um Bigode, AMPAR RJ, Grupo Estimação e Recanto dos Pit Bulls.

Além da exposição, o projeto também atua em outras frentes da causa da proteção animal: organização de feiras de adoção em shoppings, eventos, clínicas veterinárias e pet shops; parceria com os corredores de transporte BRT’s e ônibus convencionais do Rio de Janeiro, que exibem em suas TVs animais para adoção, semanalmente; e produção de material audiovisual visando a adoção consciente de animais.

“Buscamos sempre trazer para o Center Cultural exposições que possam contribuir, de alguma forma, para uma causa social. E o trabalho do fotógrafo Jayme Rocha, de uma delicadeza e sensibilidade marcantes, reflete muito bem isso ao dar a oportunidade do público de conhecer um pouco mais sobre os animais de abrigo, através de uma nova ótica”, comenta Aline Ferraz, coordenadora de Marketing do Center Shopping Rio.

Exposição Amores Vira-latas
Local: Center Cultural, 3º piso do Center Shopping Rio – Av. Geremário Dantas, 404 –
Jacarepaguá – Rio de Janeiro/ RJ -Tel.: (21) 3312-5000
Horário: de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 11h às 21h

| Mostra é integrada ao I Congresso de Estudos da Infância – Diálogos Contemporâneos, a ser realizado pelo Departamento de Estudos da Infância |
foto externa da Uerj

Foto: reprodução site FSS- Uerj

A Faculdade de Educação (EDU) da Uerj recebe entre os dias 8 e 10 de agosto a Exposição “Infância: Visagens”. Integrada ao I Congresso de Estudos da Infância – Diálogos Contemporâneos, a ser realizado pelo Departamento de Estudos da Infância (DEDI) da EDU, a mostra contará com desenhos de alunos da educação infantil, fotografias elaboradas por crianças, além de diversas bonecas representando o universo e a visão infantil sobre o mundo.

A mostra procura revelar os ângulos de visão da infância. “Que silhuetas, formas, fisionomias, que rostos têm as infâncias? Que caretas-apelos-provocações fazem? Que infâncias nos interpelam? São perguntas como estas que dão vida a esta exposição”, segundo palavras das curadoras Beatriz Fabiana Olarieta, Conceição Firmina Seixa Solva, Lisandra Ogg Gomes e Rita Ribes.

Durante os três dias de congresso, a exposição estará aberta ao público no hall do 12º andar da Faculdade de Educação da Uerj– Campus Maracanã.

 

Uerj/SR-3/DECULT/COEXPA apresentam a exposição “Infância: Visagens”
Inauguração: dia 8/08 de 2017
Visitação: até 10/08 de 2017
Horário: Contínuo
Local: Hall do 12º andar da Uerj – Rua São Francisco Xavier, n° 524 – Maracanã – Rio de Janeiro/RJ
Informações pelo tel.: (21) 2334-0114

| Aula abordará evolução das câmeras e as novas tecnologias possibilitadas através dos celulares |
foto de homem segurando câmera fotográfica

Foto: reprodução internet

No dia 29 de junho (quinta-feira), a partir das 17h30, o West Shopping, em Campo Grande, realiza o workshop gratuito de fotografia “Câmeras e as Novas Tecnologias”. A aula abordará a evolução das câmeras e as novas tecnologias possibilitadas através dos celulares. A palestra será ministrada pelo fotógrafo Helcio Peynado, do Curso de Fotografia Helcio Peynado, há 14 anos no mercado.

O evento terá duração aproximada de 1h30m e acontecerá no Espaço Multiuso (loja 287 F), no mesmo local em que está em cartaz a exposição ‘Bichos Mostram a sua Cara’, que exalta o esplendor e a essência de cada espécie animal, em suas diferentes formas e belezas naturais.

As inscrições podem ser realizadas por meio dos telefones (21) 3718-9502 ou 3178-9503. As vagas são limitadas a 30 pessoas.

Workshop Câmeras e as Novas Tecnologias
Data: dia 29 de junho
Horário: 17h30
Local: Espaço Multiuso – Loja 287 F – West Shopping – Estrada do Mendanha, n° 555 – Campo Grande – Rio de Janeiro – RJ – Tel.: (21) 3178-9501/ 9502
Inscrições pelos telefones (21) 3718-9502 e 3178-9503

 

 

 

 

 

 

 

 

| Além de entrada gratuita durante todo o dia, haverá apresentação da Orquestra Popular Tuhu – Projeto Villa-Lobos e as Crianças às 11 horas |
Foto do Jardim Botâncico

Foto: Cleibi de Oliveira

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Fundado por D. João em 1808, completará 209 anos nesta terça-feira, dia 13 de junho. Como presente para os visitantes, a entrada será gratuita durante todo o dia. Às 11 horas, a Orquestra Popular Tuhu – Projeto Villa-Lobos e as Crianças se apresenta junto ao Lago Frei Leandro.

Novas exposições no Museu do Meio Ambiente

A exposição “Rede Abrolhos: monitorando o maior complexo coralíneo do Atlântico Sul” pode ser visitada no hall do Museu do Meio Ambiente a partir de 14 de junho. A mostra é composta por 40 fotografias com imagens aéreas e submarinas, exemplares da fauna e flora marinha e equipamentos científicos utilizados pelos cientistas para estudar essa região, que tem a maior biodiversidade da costa brasileira. A curadoria é de Fernando Moraes, pesquisador associado do Jardim Botânico do Rio.

O Museu recebe também a partir do dia 14 de junho a exposição do XVI Concurso de Fotografia do Jardim Botânico. A mostra foi organizada pela Associação de Amigos do Jardim Botânico (AAJB) e reúne 23 fotos selecionadas do concurso de 2016, entre premiadas e menções honrosas. A exposição conta, também, com um painel chamado “Outras lentes”, que apresenta fotos dos jurados João Quental, Lena Trindade, Príamo Melo, Zeca Guimarães e Gustavo Pedro, além de imagens do fotógrafo Laizer Fishenfeld, cuja lente é uma divulgadora fiel do Jardim Botânico em jornais da cidade.

Novas exposições no Museu do Meio Ambiente
Horário: segunda, das 12h às 17h; terça a domingo, das 8h às 17h
Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ

– See more at: http://jbrj.gov.br/node/795#sthash.BcANTFmb.dpuf

| Há oportunidades em cursos de ilustração, edição de vídeo, fotografia e tratamento de imagem e animação |
Foto/arte: reprodução internet

Foto/arte: reprodução internet

O Projeto Porto do Saber oferece diversos cursos de capacitação profissional no segmento audiovisual para jovens a partir dos 14 anos de idade. Há vagas em cursos de ilustração, edição de vídeo, fotografia e tratamento de imagem e animação.

A qualificação profissional é realizada nas dependências da Escola Padre Dr Francisco da Motta e Colégio Sonja Kill, no Morro da Conceição, atrás do Largo de São Francisco da Prainha e a poucos metros da revitalizada Praça Mauá, do Museu de Arte do Rio (MAR) e do Museu do Amanhã, no período da tarde, de segunda a sexta-feira, de acordo com cada curso, sempre das 13h às 17h. Além da capacitação profissional, os cursos também compreendem um trabalho focado no desenvolvimento humano dos participantes, o que inclui oficinas de mercado de trabalho e de cidadania que desenvolvem temas como direitos humanos, cidadania, ética e diversidade. Além disso, é criado um plano de desenvolvimento profissional com a ajuda de psicólogo e assistente social, para que os participantes possam começar a planejar sua carreira.

Mais de 60 jovens foram atendidos pelo projeto em 2015, que teve o número de vagas ampliado para este ano. Ao final do curso, os alunos com aproveitamento satisfatório recebem um certificado do Senai.

Os interessados devem entra em contato pelos telefones 0800 0231 231 (ligações gratuitas de telefone no estado do Rio) ou 4002 0231 (custo de ligação local). O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 7h às 21h, e nos fins de semana, das 8h às 14h. Os documentos que devem ser apresentados pelo participante são: certidão de nascimento, RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de escolaridade e duas fotos 3×4. Já o responsável deverá apresentar apenas RG e CPF. As vagas são limitadas.

Porto do Saber
O Projeto Porto do Saber é fruto da parceria entre a empresa Subsea 7 e a Gerência de Responsabilidade Social do Sistema FIRJAN. Ele nasceu do desejo da Subsea 7 em contribuir para o desenvolvimento e a inclusão social dos jovens da região portuária e, ao mesmo tempo, desenvolver suas habilidades sociais e competências profissionais na indústria criativa, que é a vocação natural da região.

Clique aqui e faça o download da tabela de cursos disponíveis.

Foto/arte: site Firjan

Foto/arte: site Firjan

Cursos na área de audiovisual no Projeto Porto do Saber
Local: Escola Padre Dr Francisco da Motta e Colégio Sonja Kill, Endereço – Beco João José, nº 02 ao 16 – Saúde – Rio de Janeiro/RJ – Morro da Conceição, atrás do Largo de São Francisco da Prainha – Tels: 21 2253-5651 / 2263-1181 / 2223-2376
Início das aulas: a partir do dia 21/06/2016, conforme calendário dos cursos

Uma das fotos da exposição

Foto: Rosângela Batista

A exposição “Carioca-se”, do grupo de fotógrafos “6por6” vai abrir a temporada 2016 de atividades da Subdiretoria Geral de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), e poderá ser visitada a partir da terça-feira, dia 23 de fevereiro, às 18h, no Salão Nobre do Palácio Tiradentes.

Sob a curadoria de Vivian Faingold, a coletiva apresenta a generosidade de cada um de seus integrantes, a diversidade e qualidade em suas várias formas de traduzir a imagem e a visão personalizada da cidade onde vivem. “Trata-se de um conjunto de imagens que ilustra o ponto de vista dos fotógrafos sobre o Rio de Janeiro, que juntos conversam e formam o conceito do “Carioca-se” sem perder a característica do olhar individual”, disse. Além do grupo, mais três convidados com olhares apaixonados pela cidade maravilhosa irão compor a coletiva com 41 trabalhos.

O grupo “6por6” surgiu da união de um grupo de ex-alunos de um curso de pós-graduação da Universidade Candido Mendes (UCAM), em 2012, dedicado a fotografar diversos temas em comum.  São eles: Alex Gaudêncio, André Ribeiro, Celia Satil, Cida Alves, Rosângela Batista, Stéferson Faria. Os convidados são Adriana Medeiros, Carolina Souza de Almeida e Larrion Nascimento.

Exposição “Carioca-se”
Local: Palácio Tiradentes – Rua 1° de Março, s/n° – Praça XV – Centro – Tel.: 21 2588 1186
Período: de 23/02 a 18/03 de 2016
Horário: de segunda a sábado, das 10 às 17h; domingos e feriados, das 12 às 17h.
O acesso para cadeirantes é feito pela Rua Dom Manuel, s/nº, Praça XV

Fonte: Alerj
| Cariocas e turistas poderão tirar uma foto ao lado da estátua de Tom Jobim e a levar impressa gratuitamente |

Foto: Fabio Seixo / Agência O Globo / Reprodução

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, realiza nesta sexta-feira, dia 27 de fevereiro, o evento inédito nomeado de Monumento Selfie. A ação faz parte das comemorações pelos 450 anos da cidade e visa aumentar a interação da população com as obras públicas existentes nas ruas do Rio. Uma tenda com uma câmera será armada nas imediações do monumento em homenagem a Tom Jobim, no Arpoador, e cariocas e turistas que por ali passarem poderão registrar uma imagem ao lado da obra e levarão uma fotografia impressa no local gratuitamente. A iniciativa contará com a presença do secretário de Conservação, Marcus Belchior, e do subprefeito da Zona Sul, Bruno Ramos.

SERVIÇO:
Data: 27/02, sexta-feira
Horário: às 14:30h
Local: Calçadão do Arpoador (em frente ao monumento em homenagem a Tom Jobim)

| A mostra Trajetórias – Ingá: Do Palácio ao Museu do Estado conta a história fluminense através da arte, cultura e política |

O Museu do Ingá – um espaço da Secretaria de Estado de Cultura (SEC)  – promove, até o dia 29 de novembro deste ano, a exposição Trajetórias – Ingá: Do Palácio ao Museu do Estado, que resgata a história fluminense e do próprio museu através de plataformas interativas, que aliam fotos, imagens, objetos e filmes em suportes como tablets, aplicativos e materiais audiovisuais. A mostra, com curadoria de Carlos Fernando Andrade, marca o início da nova fase do museu e tem como objetivo resgatar a identidade e a autoestima fluminense.

 “Os museus tem que falar do presente e o que vemos atualmente é que a identidade do estado do Rio de Janeiro está muito diluída, queremos chamar atenção para isso. Nosso objetivo é contar a nossa trajetória através das narrativas locais e da participação do público fluminense. O museu precisa ser relevante para as pessoas, passado e presente têm que se cruzar. Queremos que gente de todo o Rio venha visitar o Ingá e que se reconheça nas histórias”, analisa Mariana Varzea, Superintendente de Museus da SEC.

A mostra inédita traz mapas interativos que revelam a formação dos municípios, acervo com objetos da cultura popular, fotos dos ex-governadores e até um Cine Fluminense, com trechos de filmes que foram rodados na região. Um quiz repleto de curiosidades vai testar os conhecimentos dos visitantes, que poderão gravar depoimentos em cabines de vídeos para serem publicados no Youtube. A exposição reconta também a história da construção do palácio de 1860 onde hoje funciona o museu, que foi palco de importantes episódios da política.

 “A referência inicial desta exposição é o próprio local onde ela está sendo montada: o Palácio Nilo Peçanha, atual Museu do Ingá. Cenário da construção republicana no Estado do Rio de Janeiro, sua trajetória, como sede da política fluminense de 1903 a 1975, que confunde com a própria história do estado do Rio. A organização territorial do Estado do Rio de Janeiro guarda intima relação entre as culturas que predominaram nos diferentes períodos de sua história”, explica o curador Carlos Fernando.

A exposição lança a nova identidade visual e o novo branding do Museu do Ingá, assinados pela 32bits. A produção é da Trítono e da 32 bits que criaram, em parceria com a curadoria, espaços, conteúdos e dispositivos digitais da nova exposição. O projeto de requalificação do museu e a nova exposição são uma realização da Secretaria de Estado de Cultura com patrocínio da Petrobras e do Governo do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual  de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

O público poderá visitar as seguintes áreas:

Sala “Formação: Terra, Homem e Cultura”
Esta área conta com uma mesa interativa onde o público pode passear por temas geográficos, econômicos e culturais através da visão do historiador e geólogo Alberto Lamego: a Serra, o Brejo, a Restinga e a Guanabara. Há também um painel mostrando o surgimento dos municípios ao longo do tempo, e outro, sobre o Rio Paraíba do Sul, tão importante para o Estado. O acervo material de objetos da cultura popular da região forma uma vitrine expositiva. O público poderá também assistir a uma projeção com edição de filmes históricos sobre a memória cultural do Estado.

Sala Tempos de Política
Essa sala tem curadoria da historiadora Andrea Tello, que separou três governadores icônicos para a história do Estado e do próprio Palácio: Nilo Peçanha, Amaral Peixoto e Roberto Silveira. Suas histórias e de seus governos são contadas em artes nas paredes e, também, através de parte do acervo do museu, com objetos que pertenceram a esses três antigos ocupantes do Palácio. Além disso, foram digitalizados quatro almanaques históricos, que registravam todos os municípios do Estado. São um álbum de 1908, outro de 1922, além de um álbum de Feliciano Sodré e Raul Veiga.

Sala “O Ingá é”
O espaço interativo conta com ipads onde, através de aplicativos, os visitantes poderão opinar sobre as futuras ações do museu, além de ficar por dentro de novidades e detalhes sobre a nova identidade visual. Em cabines  o público poderá gravar depoimentos sobre o espaço, que serão publicados no Youtube.

Sala Simbologia
Será possível conhecer e compreender os elementos da bandeira e do hino do estado do Rio que representam, por exemplo, as belezas naturais, como o pico Dedo de Deus e as primeiras atividades econômicas, como o cultivo de cana-de-açúcar e café.

Galeria dos Governadores
Uma linha do tempo visual dos 43 governadores até a fusão do estado do Rio de Janeiro com o estado da Guanabara.

Exposição TRAJETÓRIAS – Ingá: Do Palácio ao Museu do Estado
Local: Museu do Ingá –  Rua Presidente Pedreira 78, Ingá – Niterói – Rio de Janeiro – RJ – Tels.: (21) 2717 2893 / 2717-2903
Período: até 29/11/2015
Horário de funcionamento: Terça à sexta: 12h às 17h. Sábados, domingos e feriados: 13h às 17h
Classificação: Livre

 

Foto da entrada do Parque Natural Municipal da Prainha

Foto: Reprodução internet

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente promove até o dia 21 de fevereiro, no Parque Natural Municipal da Prainha, a segunda temporada do Varal Fotográfico, que reúne imagens da fauna e flora da região. A mostra, com fotografias de João Luiz Lima, Lauriano Caravana e Paulo Miltteman, através do grupo Rio Fotográfico, tem o objetivo de contribuir para a missão da educação ambiental e ressaltar a importância de manter espécies animais e vegetais em equilíbrio com o ser humano.

Foto de um beija-flor

Foto: D.O do Município do Rio de Janeiro

Em uma área de 147 hectares, o parque abriga fauna e flora diversificadas, incluindo espécies ameaçadas de extinção. No local, é possível ver mamíferos como gato-do-mato, cachorro-do-mato, mão pelada, gambá, cuícas, mico estrela, coelho do mato, paca e roedores. A classe das aves apresenta Parque Natural da Prainha ganha nova temporada de exposição de fotografias dezenas de espécies como periquitos, maritacas, colibris, corujas, rolinhas, bem-te-vis, gaviões, entre outras. Também se destacam as serpentes como jararaca, jararacuçu, cobra-cipó e a caninana, além de uma grande variedade de lagartos.

O Parque Natural Municipal da Prainha fica na Avenida Estado da Guanabara, s/nº – Grumari – Rio de Janeiro – RJ. Com entrada gratuita, a mostra estará aberta à visitação de terça a domingo, das 8h às 17h.

Fonte: Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro
Foto da Festa de São Pedro, Jurujuba, c. 1985

Foto: Festa de São Pedro, Jurujuba, c. 1985 / Pedro Vasquez –

A inauguração da exposição “Aqui Mesmo – Niterói vista pelas lentes de Pedro Vásquez” acontece nesta  sexta-feira, dia 21 de março, às 16 horas, e conta com 53 fotografias do acervo do artista sobre a cidade de Niterói. A mostra apresenta um resumo de sua produção consagrada à cidade nos últimos trinta anos, com fotografias em diversas técnicas e formatos, como panorâmicas, imagens intimistas, fotografia em suporte de película, imagem digital, preto e branco e em cores. Sempre com um enfoque pessoal, que foge do previsível lugar-comum para privilegiar uma visão autoral e distintiva da cidade.

Assim como os adeptos do wabi-sabi (conceito japonês derivado do ensino budista, visão abrangente do mundo ou ou estética centrada na aceitação da transitoriedade e imperfeição), Vasquez privilegia a beleza das coisas imperfeitas, impermanentes e incompletas, das coisas simples, naturais e orgânicas, preferindo o intrínseco em detrimento da hierarquia material, do espetacular, do monumental e do imponente. Assim, a Niterói de Pedro Vasquez não é a da arquitetura esplendorosa ou dos logradouros consagrados, de tal forma que ao fotografar o MAC ele se desvia de sua decantada elegância plástica para se concentrar nos visitantes. Da mesma forma em que não se prende ao registro topográfico e metódico da paisagem, optando por evocar uma Niterói mítica e pessoal, a exemplo do que fez o pintor belga Léon Spilliaert no início do século XX ao focalizar as praias desertas e silenciosas da cidade de Ostende, os banhistas, os barcos, as árvores e os metafísicos encontros da areia com o mar e do mar com o céu.

Sobre o Artista:

“Escritor, tradutor, fotógrafo e administrador cultural, Pedro Vasquez é formado em Cinema pela Université de la Sorbonne, e mestre em Ciência da Arte pela Universidade Federal Fluminense. Foi responsável pela implantação do Instituto Nacional da Fotografia da Funarte, bem como pela criação do Departamento de Fotografia, Vídeo & Novas Tecnologias do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, além de ter sido também diretor do Solar do Jambeiro. Seu trabalho como fotógrafo já foi exposto e/ou publicado em diversos países, notadamente: Alemanha, Inglaterra, França, Itália, Espanha, Portugal, Noruega, Canadá, Estados Unidos, Cuba, México, Venezuela, Argentina, Uruguai, Paraguai.”

Exposição Aqui Mesmo – Niterói vista pelas lentes de Pedro Vasquez
Data de abertura: 21/03, às 16h
Local: Espaço Cultural Correios Niterói – Avenida Visconde de Rio Branco, 481 – Centro, Niterói
Horário: de segunda a sexta, das 10h às 18h
Lançamento do catálogo e visita guiada: 13 de maio de 2014, às 17h.

Foto: Evandro Teixeira

Foto: Evandro Teixeira

Tempos de chumbo, tempo de bossa: os anos 1960 pelas lentes de Evandro Teixeira” traz registros de momentos históricos do Rio de Janeiro após o golpe militar de 1964. As imagens mostram o contraste entre  a repressão e momentos de descontração como a música, a praia e a moda carioca da época. Os registros são de Evandro Teixeira, um dos nomes mais conhecidos do fotojornalismo brasileiro.

Entre as fotografias, registro da Passeata dos Cem Mil, em 1968 e do jantar dos militares, conhecido como a “noite dos generais”, quando decidiram decretar o Ato Institucional número cinco (AI-5).

Exposição Tempos de chumbo, tempo de bossa: os anos 1960 pelas lentes de Evandro Teixeira
Local: Centro Cultural Justiça Federal – Av. Rio Branco, 241 – Centro – Tel.: (21) 3261-2550
Período: De 15/01 a 27/02 – Terça a domingo, das 12h às 19h, no Gabinete de Fotografia


Foto: divulgação Facebook

Nada de paredes, luze especiais, vernissage, público limitado ou específico. É passeando pela cidade com seus trabalhos a tiracolo que os artistas participantes do ”Walking Gallery” levam arte ao público. O movimento cultural surgiu em abril de 2009, em Barcelona, quando o artista Jose Puig fez seu primeiro passeio com seu quadro pendurado no ombro. A intenção era desenvolver um movimento alternativo no mundo da arte. Os encontros acontecem em diversas cidades como Barcelona, São Paulo, Goiânia, Madrid, Bilbao, Buenos Aires, Avilés, Zaragoza, Vigo, Londres, San Sebastián, Tarragona e Sitges.

O movimento terá sua primeira edição no Rio neste sábado e pretende percorrer os bairros de Copacabana e Ipanema, a princípio. O ponto de encontro é na Praça General Osório (em frente à entrada do metrô), às 10h. A saída está prevista para as 10:45h. Em caso de chuva, o passeio será feito somente no metrô.

O evento é aberto para todo tipo de artista plástico/visual e fotógrafos que desejam levar sua arte para um passeio pelas ruas cariocas.

Veja mais informações no site do movimento ou na página do evento no Facebook!

A Cidade Maravilhosa tem recebido diversos eventos e exposições fotográficas ao longo deste semestre. Nos meses de maio e junho, algumas se destacam, entre elas a Gênesis, do fotógrafo Sebastião Salgado, já publicada aqui, e a World Press Photo. Confira mais dicas de exposições que acontecem pela cidade!

Foto: Paul Hansen

Foto: Paul Hansen

World Press Photo 2013 reúne 154 registros de 54 fotógrafos de 32 nacionalidades, com imagens que se destacaram na imprensa internacional em 2012. São fotografias de temas como política, economia, esportes, cultura e natureza.  Fundada em 1955, em Amsterdã, a  Fundação World Press Photo é uma organização independente sem fins lucrativos que realiza o maior concurso de fotojornalismo do mundo. Anualmente, as fotografias vencedoras são reunidas em uma exposição que percorre 45 países, em 100 locais diferentes durante um ano. A edição de 2013 contou com 103.481 imagens de 5666 fotógrafos de 124 países. A vencedora foi do sueco Paul Hansen, que retrata a imagem de duas crianças palestinas mortas, vítimas de um míssil israelita. As fotos são julgadas por especialistas em jornalismo visual que representam vários aspectos da profissão. A composição do júri é alterada todos os anos. A mostra tem como um dos premiados o carioca Felipe Dana, por menção honrosa com a foto de Natalia Gonzales, de 15 anos de idade, uma usuária de crack que, na época, morava na favela de Manguinhos, no Rio de Janeiro. A foto foi tirada no local conhecido como cracolândia, também em Manguinhos.

World Press Photo 2013
Local: Caixa Cultural – Galeria 4 – Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
Horário: De terça a domingo, de 10:00h às 21:00h
Data: Até 23 de junho
Tel.: 21 3980-3815

 

fotospaco_Angai Vellozo - Praia de Botafogo

Foto: Angai Vellozo

Galeria promove show room de fotografias de arte, com tiragens restritas, para arquitetos e decoradores

A Fotospaço realiza uma exposição de seu acervo, reunindo uma seleção de obras fotográficas dos artistas representados pela galeria de arte: Ana Carolina Fernandes, Angai v.R.V, José Diniz, Príamo Melo, Raphael Lima e Thomas Valentin.

As fotografias, impressas em padrão fine art e com preços acessíveis, serão uma boa oportunidade para arquitetos e decoradores. Todas as imagens expostas estarão à venda, bem como as que estão no site e nos catálogos da galeria.

Os trabalhos são impressos em tiragens restritas, com numeração, registro e certificação da marca francesa Canson e emolduradas nos padrões museológicos internacionais de conservação.

Exposição de acervo
Local: Galeria de Arte Fotospaço (Shopping Cassino Atlântico) – Av. Atlântica, 4240, sala 126 – Tel.: (21) 3576-9362
Data: De 04 a 15 de junho – de terça a sábado, das 12h30 as 18h30 (exceto feriados)

Quem achou pouco pode conferir mais dicas de eventos e e exposições no site do FotoRio – Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro, que comemora dez anos de atividades e está na sua sexta edição. Clique aqui e confira a programação, que vai até julho!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um dos fotógrafos mais premiados do mundo, o mineiro Sebastião Ribeiro Salgado Júnior é conhecido por abordar temas sociais em seus trabalhos. Ao longo de quase 40 anos de carreira,  já lançou 10 livros, além de diversas exposições de pelo mundo. Salgado é embaixador da Boa Vontade da UNICEF e membro honorário da Academia de Artes e Ciências dos EUA.

A exposição “Gênesis“, que também dá nome ao seu novo livro, chega ao Rio após passar por cidades como Londres, Toronto e Roma. O projeto é resultado de um trabalho de longo prazo, focado na natureza. Foram 8 anos, de 2004 a 2012, em visitas a 32 regiões extremas como o Alasca, a Patagônia, a Etiópia e a Amazônia, para registrar  imagens impactantes, a majestade e a fragilidade da natureza, assim como sua relação com o homem e os animais. As viagens aconteceram a pé, de ônibus, em pequenos barcos, aviões e até mesmo em balões. Entre os registros de sua lente estão desertos gigantes, terras geladas, icebergs, vulcões, selvas, cadeias de montanhas e animais em seu ambiente natural. A exposição conta com mais de 200 imagens em preto e branco, característica do fotógrafo. A curadoria é de Lélia Wanick, sua esposa.

“Gênesis é sobre os primórdios, sobre um planeta intocado, suas partes mais puras, e um modo de vida tradicional que convive em harmonia com a natureza. Quero que as pessoas enxerguem o nosso planeta de outra forma, sintam-se comovidas e se aproximem mais dele”. Sebastião Salgado.

Patrocinadora do projeto desde 2008, a Vale promove um bate-papo do fotógrafo com funcionários no Rio, no dia 29 de maio, que será transmitido pela internet a partir das 9:30h (horário de Brasília). Os internautas que enviarem perguntas vão concorrer ao livro de fotos do Projeto. O link estará disponível no site da Vale e  no perfil da instituição no Facebook.

 

Exposição “Gênesis” Local: Museu do Meio Ambiente – Jardim Botânico do Rio de Janeiro – Rua Jardim Botânico, 1008 – Tel.: (21) 2294-6619 Data: de 29/05 a 26/08, de terça a domingo, das 9h às 17h. Livre – Gratuito * A entrada no Arboreto custa R$ 6,00, com gratuidade para crianças até 7 anos e adultos a partir de 60 anos.

Teatro Amazonas, Manaus - AM, c. 1966 -  Marcel Gautherot/ Acervo Instituto Moreira Salles

Teatro Amazonas, Manaus – AM, c. 1966 – Marcel Gautherot/ Acervo Instituto Moreira Salles

Instituto Moreira Salles (IMS) apresenta a exposição Marcel Gautherot – Norte. Com 30 imagens do fotógrafo francês feitas na Amazônia brasileira entre os anos 1940 e 1970, a mostra acontece no Espaço Itaú de Cinema, em Botagogo, zona sul do Rio, de 25 de abril a 27 de julho.

Gautherot nasceu em Paris em 14 de julho de 1910. Radicado no Brasil desde 1940, dedicou-se a viajar por todo o país, registrando aspectos mais variados da vida nacional: das cidades históricas de Minas Gerais às festas populares do Nordeste, da paisagem amazônica à arquitetura modernista do Rio de Janeiro e de Brasília. Gautherot faleceu no Rio de Janeiro, em 8 de outubro de 1996. Em 1999, seu acervo de mais de 25.000 imagens passou a integrar a coleção fotográfica do (IMS).

O artista veio ao Brasil pela primeira vez em 1939 e desejava subir e fotografar todo o curso do Rio Amazonas, mas a viagem não foi muito longe, interrompida pela Segunda Guerra Mundial, que também o obrigou a se radicar no Brasil um ano depois.

Exposição Marcel Gautherot – Norte
Local: Espaço Itaú de Cinema Rio de Janeiro – Praia de Botafogo, 316 – Botafogo
Período: De 25 de abril a 27 de julho de 2013 – Todos os dias, das 13h às 22h

oi-kabum

Foto: divulgação

A Escola de Arte e Tecnologia Oi Kabum! está com inscrições abertas para os cursos até o dia 28. Os interessados devem ter entre 16 e 21 anos, cursar ou ter concluído o Ensino Médio na rede pública de ensino ou serem bolsistas em uma instituição particular, além de possuir conhecimentos básicos de uso do computador. As atividades acontecem de 2ª a 6ª feira, das 8h às 12h, com 17 meses de duração. As aulas começam em 5 de agosto e vão até dezembro de 2014.

São oferecidas 90 vagas por meio de uma seleção, entretanto os 360 classificados na primeira etapa garantem vaga na oficina Click, de arte e tecnologia, com 20 horas de duração, que acontecerá às terças e quintas ou quartas e sextas-feiras, entre os meses de maio e junho.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.oikabumrio.org.br. Os candidatos sem acesso à internet podem se inscrever na Escola, basta agendar pelo tel. (21) 3131-9399. A divulgação dos resultados será pelos sites do Oi Futuro (www.oifuturo.org.br), do Centro de Criação de Imagem Popular – CECIP (www.cecip.org.br) e na Escola. O da primeira etapa será divulgado até o dia 7 de maio e o final será no dia 7 de julho.

Rua: Visconde de Pirajá, 54 – 1° andar – Ipanema
Tel: (21) 3131-9399
Foto por José Diniz

Foto: divulgação

Fotos inéditas do artista no Brasil podem ser vistas na exposição “Ultramarinhas”, a partir do dia 17. Diniz foi vencedor do prêmio Marc Ferrez 2012 de Fotografia (Funarte/Ministério da Cultura) e indicado pelo British Journal of Photography como um dos 20 fotógrafos do mundo a ser observado em 2013.

José Diniz começou a fotografar aos 10 anos por influência de seu avô, fotógrafo amador e fundador da Sociedade Fluminense de Fotografia.

“Estar submerso no oceano envolve todos os sentidos e eu tento passar isso para as pessoas”, define José Diniz, que nasceu em Niterói e mora na cidade do Rio de Janeiro. 

As fotografias da mostra são todas em preto e branco e apresentam imagens feitas dentro do mar, na costa. A curadoria é de Marcos Bonisson e Andreas Valentin.

-Galeria de Arte Fotospaço – Shopping Cassino Atlântico: .Av. Atlântica, 4240 – sala 126 – Copacabana
-Tel.: (21) 3576 9362
-Abertura: dia 17/04
-De terça a sábado, das 12:30h as 18:30h (exceto feriados)
Até 24 de maio de 2013
– Classificação indicativa: Livre

As aulas acontecem na Universidade Estácio de Sá (Campus Tom Jobim), das 14 às 17h . São oficinas para quem tem interesse por comunicação e artes, publicidade, fotografia, cinema e produção. Ao final, os participantes, que devem ter Ensino Médio completo, recebem um certificado.

Oficinas disponíveis:

-DIA 25/02 – CRIAÇÃO/REDAÇÃO PUBLICITÁRIA PARA AUDIOVISUAL – PRODUÇÃO DE COMERCIAL (RTVC) E PRODUÇÃO DE SPOTS (RÁDIO). CLAUDIA MIRANDA E PATRICIA AGUIAR.

-DIA 26/02 – ROTEIRO PARA CINEMA (FICÇÃO)/PRODUÇÃO E DIREÇÃO DE CENAS. GISELE BARRETO E ANJA BITTENCOURT; FERNANDO DIAS (PRODUTOR NUCINE).

-DIA 27/2 – DIREÇÃO DE CÂMERA, FOTOGRAFIA E ILUMINAÇÃO PARA CINEMA/TV/FILME COMERCIAL, RONALDO MORANT.

– DIA 28/02 – PRODUÇÃO FONOGRÁFICA/TRILHAS SONORAS,  MAYRTON BAHIA.

– DIA 01/3 – EDIÇÃO (CINEMA/TV E FILME COMERCIAL). FOTOGRAFIA. DOUGLAS BOIAGO (EDITOR NUCINE), FERNANDO DIAS E SADDY BIANCHI.

As inscrições devem ser feitas pelo e-mail gisele.sampaio@estacio.br, aos cuidados de professora Gisele Barreto, com nome completo, cpf e o dia da oficina de interesse.

Endereço: Av. das Américas, 4.200 – Bloco 11 – Centro Empresarial Barra shopping – Cobertura – Barra da Tijuca

Tel: (21) 2432-2500

Uma das maiores exposições de fotojornalismo chega ao Rio de Janeiro. A 53ª edição acontece até o dia 27, no Centro Cultural da Caixa, no centro. Todos os anos o evento premia as melhores fotos publicadas na imprensa  mundial. Nesta edição, o paulista Daniel Kfouri,que já havia se inscrito duas vezes no WPP, ganhou o terceiro lugar na categoria Esporte e Ação — Single, com a foto do skatista Bob Burnquist, feita no Parque do Anhembi, em São Paulo, durante o treinamento da “Megarampa”. As fotos dão ênfase aos momentos em que os skatistas caíam, sob título de “Icarus”, conta Kfouri.

Aé 27 de junho
Local: Caixa Cultural RJ
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro – Rio de Janeiro
Horários: Terça a sábado, 10h às 22h
Domingo, 10h às 21h
Contato: (21) 2544-4080).
Classificação: Livre

Mais informações:  http://www.caixacultural.com.br/html/main.html

%d blogueiros gostam disto: