Tag Archive: museu de arte do rio


| Evento de abertura acontece neste sábado, 25/05, e terá apresentações de Teresa Cristina e do projeto “Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs” com participação especial do músico Mateus Aleluia |
foto do Museu de Arte do Rio - MAR

Foto: divulgação

O Museu de Arte do Rio – MAR, na Praça Mauá, inaugura “O Rio dos Navegantes”, sua principal exposição de 2019, no dia 25 de maio com um grande evento. A mostra traz uma abordagem transversal da história do Rio de Janeiro como cidade portuária do ponto de vista dos diversos povos, navegantes e imigrantes que desde o século XVI passaram, aportaram e por aqui viveram. As aberturas da exposição e da sala de imersão “FLUXO” acontecerão às 16h. Às 19h haverá show do projeto “Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs“, que contará com a participação especial do músico Mateus Aleluia, remanescente do grupo original. Já o pocket show “Teresa Cristina Canta Paulinho da Viola” acontecerá às 20h.

O Rio Dos Navegantes ocupará integralmente o terceiro andar do pavilhão de exposições e a Sala de Encontro, localizada no térreo, até março de 2020, com visitação gratuita até o dia 25 de junho de 2019. O diretor cultural do MAR, Evandro Salles, é o idealizador e coordenador de curadoria, Francisco Carlos Teixeira, o consultor histórico. Também assinam a curadoria e a pesquisa Fernanda Terra, Marcelo Campos e Pollyana Quintella.

Foto da Entrada do Complexo de Refugiados da Ilha das Flores

Foto: Kurt Klagsbrunn/divulgação

“O Rio dos Navegantes” reúne cerca de 550 peças históricas e contemporâneas, entre pinturas, fotografias, vídeos, instalações, objetos, documentos, esculturas e outros itens. Estão confirmados trabalhos de artistas como Ailton Krenak, Antonio Dias, Arjan Martins, Augusto Malta, Belmiro de Almeida, Custódio Coimbra, Guignard, Iran do Espírito Santo, João Cândido (João Cândido Felisberto), Kurt Klagsbrunn, Lasar Segall, Mayana Redin, Mestre Valentim, Osmar Dillon, Rosana Paulino, Sidney Amaral, Virginia de Medeiros, além de jovens artistas como Aline Motta e Floriano Romano.

Entre os destaques da curadoria está um raro tapete feito pela Manufatura dos Gobelins – um complexo de oficinas dedicadas à produção de tapeçarias e mobiliários na França do século XVI. Também promete chamar a atenção do público um painel de cinco metros pintado em madeira pelo artista Carybé pertencente ao acervo do Museu do Ingá. Outro destaque é o desenho original de Hélio Eichbauer que foi transformado em um painel na emblemática montagem da peça O Rei da Vela, em 1967, e mais tarde virou capa do disco O Estrangeiro, de Caetano Veloso.

Foto: divulgação

Para ampliar a viagem pela história do Porto do Rio e seus desdobramentos, o museu firmou parceria com 37 instituições públicas e privadas, que cederam trabalhos para a exposição. Do Museu Nacional, destruído por um incêndio em 2018, virão 15 peças de diversas coleções da seção didática do museu, como conchas, corais, artefatos líticos e frascos que apresentam a biodiversidade da baía de Guanabara. Outro destaque é a vídeoinstalação do sul-africano Mohau Modisakeng, exibido na Bienal de Veneza de 2017. A obra simula barcos com figuras submersas e aborda o desmembramento da identidade africana pela escravidão, que promoveu violentos apagamentos de histórias pessoais.

“O Rio dos Navegantes” não se limita aos espaços tradicionais de exposição. Na rampa que leva o visitante ao pavilhão, por exemplo, o público já será ambientando à mostra por meio de uma das cinco obras comissionadas pelo MAR. Vozes, conversas e sons ambientes da Região Portuária foram reunidos pelo artista carioca Floriano Romano no trabalho “O Som do Porto”, que dá a dimensão da diversidade naquela região. Mais quatro trabalhos foram desenvolvidos pelos artistas Aline Motta, Carlos Adriano, Katia Maciel, Regina de Paula e Wilton Montenegro especialmente para a ocasião. A mostra também dá voz a personagens famosos e anônimos da região, como Arthur Bispo do Rosário, João Cândido, as polacas Berta, Esther e Rachel, o Dragão do Mar, os comerciantes árabes do mercado popular Saara, entre outros, que terão suas vidas narradas por meio de obras e documentos da época.

A exposição convida o público a refletir sobre os modos de vida que formaram o Rio de Janeiro, a relação entre cariocas e visitantes, a miscigenação, as formas de uso e democratização do espaço público e os conflitos geográficos, linguísticos, culturais, econômicos e políticos que estão presentes na cidade desde o século XVI. Documentos e imagens raras mostram indígenas escravizados construindo os Arcos da Lapa, evidenciam os problemas das enchentes do Rio desde o século XVI e questionam o mito da praia democrática, evidenciando tensões sociais no espaço público e as praias do subúrbio, como as do Caju, Ramos, Sepetiba e Ilha do Governador.

Sala imersiva “FLUXO” inaugura no mesmo dia

No dia 25 também será inaugurado o primeiro espaço imersivo do MAR. O objetivo é propor ao visitante uma experiência sensorial. A instalação de estreia foi desenvolvida por uma equipe multidisciplinar liderada pela diretora criativa Liana Brazil, da SuperUber. A sala localizada no primeiro andar do pavilhão de exposições é uma aposta da direção do museu por meio de sua diretora executiva, Eleonora Santa Rosa, e faz parte de um novo núcleo de trabalho da instituição. FLUXO é uma experiência imersiva que explora o movimento contínuo, fluido, espontâneo. Ao entrar na sala escura, o visitante perceberá que suas pegadas criam rastros que o conectam a um núcleo onde imagens e sons inspirados na exuberante natureza do Rio de Janeiro surgem de todos os lados. Constelações, águas, tempestades e traçados ancestrais são projetados em telas que envolvem o público e o transportam para um espaço-tempo outro, fora da história, livre de começos-meios-fins.

“Esse projeto é um experimento criado a partir de conversas com grupos de jovens convocados pelo museu, visando atrair novos públicos. Possui uma dimensão poética, epifânica e sensorial, que traz no seu âmago essa ideia de fluxo, pois cria conexões e movimentos por meio de uma movimentação contínua”, explica Eleonora Santa Rosa. Liana Brazil completa: ‘Esse tipo de arte está cada vez mais presente nos museus do mundo, e, com a inauguração dessa instalação, o MAR entra na onda da interdisciplinaridade da arte’, observa.

Programação:
16h: Abertura da exposição “O Rio dos Navegantes”
16h: Abertura da sala de imersão “FLUXO”
19h: Show do projeto Pra Gira Girar: uma celebração aOs Tincoãs – com a participação especial do músico Mateus Aleluia, remanescente do grupo original
20h: Pocket show Teresa Cristina Canta Paulinho da Viola
Entrada: Visitação gratuita de 25 de maio a 25 de junho/2019
Horário de funcionamento: às terças-feiras o MAR funciona com horário estendido, das 10h às às 19h. Quarta a domingo, das 10h às 17h. Às segundas-feiras o museu fecha para o público.
*No sábado, 25 de maio, o museu funcionará em horário especial, das 16h às 21h, por conta da abertura da exposição e da sala imersiva.
Local: Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, 5 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Informações: pelo tel. 21 3031-2741 ou site http://www.museudeartedorio.org.br

Obs.: a entrada no MAR é gratuita às terças-feiras durante todo o ano. *Entre os dias 25 de maio e 25 de junho de 2019 a entrada será gratuita em todos os dias de funcionamento.

| Aula inaugural acontece dia 14/05 e contará com  a presença de amigos do músico, como Flavia Oliveira, Letícia Sabatella, Leonardo Lichote e José Júnior |

Foto: divulgação

Estão abertas as inscrições para o ciclo “Narrativas Curtas – Uma Homenagem a Marcelo Yuka”, que o Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon e por meio da Escola do Olhar, oferece em parceria com a FLUP – Festa Literária das Periferias. O curso funciona como uma espécie de concurso no qual os alunos serão estimulados a produzir contos sobre um dos títulos indicados nas aulas. Posteriormente, os textos serão reunidos em um livro que será publicado pela FLUP em 2020.  Os interessados em participar de todo o ciclo “Narrativas Curtas”, que acontece entre os dias 21 de maio e 23 de julho, devem ser maiores de 16 anos se inscrever pelo link http://bit.ly/NarrativasCurtas.

A aula inaugural do curso será uma grande celebração à obra de Marcelo Yuka. O encontro acontece no dia 14 de maio, às 17h, e vai reunir poetas e amigos do artista, como Renato Fontes, DJ TR, Orlando Zacconi, Marcelo Lobato, Giovana Hallack, Fred Coelho, Edu Alves, Leonardo Lichote, MC Leonardo, Flávia Oliveira, José Junior, Letícia Sabatella, Eliane de Souza e Numa Ciro. Os inscritos no ciclo “Narrativas Curtas” já têm lugar garantido na aula aberta, mas quem não está poderá participar do encontro inaugural fazendo a inscrição pelo link: http://bit.ly/VivaMarceloYuka.

Por intermédio do Ciclo de Narrativas Curtas, processo de formação de novos autores da Festa Literária das Periferias – FLUP, já foram lançadas sete elogiadas coletâneas de contos. O curso revelou talentos emergentes da literatura brasileira como Ana Paula Lisboa e Geovani Martins. Os dois últimos lançamentos, as coletâneas “90 anos de Malandragem” e “Conta Forte, Conta Alto”, homenagearam os mestres do samba Bezerra da Silva e Martinho da Vila, respectivamente.

O Museu de Arte do Rio – MAR
Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação com base no programa curatorial que norteia a instituição.
O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da Cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor, a Equinor como patrocinadora master e a Rede D’Or São Luiz como apoiadora de exposições por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.
A Escola do Olhar conta com patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Dataprev, TNA, In Press e BNY Mellon por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS e do Machado Meyer Advogados via Lei Federal de Incentivo à Cultura.
O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e realização do Ministério da Cidadania e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Narrativas Curtas – Uma Homenagem a Marcelo Yuka
Local: Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, 5, Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: aula inaugural – dia 14 de maio, às 17h

| Programação do “MAR de Oswaldo Cruz e Madureira”, neste sábado, 9/02, inclui debate sobre enredo de 2019 da Portela, sessão de cinema, oficinas de surdo e roda de samba | 

Foto: divulgação

Foto: divulgação

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob gestão do Instituto Odeon, recebe uma programação especial dedicada ao samba no dia 09 de fevereiro (sábado). As atividades começarão às 10h, com um debate sobre o enredo da Portela para o Carnaval 2019, que contará com a participação da carnavalesca Rosa Magalhães, do escritor e jornalista Vagner Fernandes, do presidente do Conselho Deliberativo e um dos autores do samba enredo, Fábio Pavão, e do presidente da escola de samba, Luis Carlos Magalhães, que mediará a conversa.

Foto de Rosa Magalhães e Luis Carlos Magalhães

Foto: divulgação

Após o bate-papo haverá uma sessão de autógrafos do livro “E vai rolar a festa…” (2018), de Rosa Magalhães. A obra é um relato sobre sua experiência de criar e produzir a festa de encerramento das Olimpíadas Rio 2016 e as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007 – evento pelo qual foi premiada com o Emmy de “Melhor Figurino”.

Ao longo do dia serão realizadas visitas mediadas à exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção“, sessão de cinema com os filmes do coletivo Por Telas e oficinas de surdo.

A programação encerra com uma roda de samba comandada pelo Samba dos Crias, grupo formado pelos ritmistas da Portela, às 16h30.

 

 

 

Programação:
10h – Debate sobre enredo com Rosa Magalhães, Fabio Pavão e Vagner Fernandes | Mediação: Luis Carlos Magalhães.
Local: Pavilhão de exposições
10h30 – Sessão de autógrafos do livro “E vai rolar a festa…” (2018), de Rosa Magalhães.
Local: Pavilhão de exposições
11h – Visita mediada à exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção”.
Local: Pavilhão de exposições
12h às 14h – Pausa para o almoço
14h – Visita mediada à exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção”.
Local: Pavilhão de exposições
14h30 – CineSamba – Serão exibidos os filmes Por Telas: “Um Craque Esquecido”, “Do Samba ao Sample: Entre duas Culturas” e “Procuram-se Mulheres”. Além disso, haverá exibição do documentário originado a partir da criação do Perímetro Cultural.
Local: Auditório
14h30 – Oficina de surdo com os mestres do Samba dos Crias.
Inscrições em http://bit.ly/OficinaSambaDosCrias
Local: Pavilhão de exposições
15h30 – Debate com os diretores Cecília Rabello, idealizadora do Por Telas, Vereador Reimont e Rogério Rodrigues, idealizador do Perímetro.
Local: Auditório
16h30 – Encerramento com roda de samba comandada pelo Samba dos Crias.
Local: Pilotis

MAR de Oswaldo Cruz e Madureira
Local: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, nº 5 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: dia 09/02 (sábado)
Horário: a partir das 10h
Classificação: livre

| Museu de Arte do Rio promove oficinas do projeto Afrofunk Rio | 

Foto: divulgação

Neste sábado, 26 de janeiro, o Museu de Arte do Rio (MAR) recebe oficina do projeto Afrofunk Rio. A iniciativa nasceu da pesquisa da atriz e dançarina Taísa Machado, ex-integrante do Grupo Tá Na Rua, do diretor e teatrólogo Amir Haddad, e da Cia Corp’Afro, da bailarina afro Eliete Miranda.

A atividade será ministrada por Taísa, que utiliza a dança e a história da cultura negra como ferramenta de empoderamento corporal e intelectual.

Oficina Afrofunk Rio
Local: Museu de Arte do Rio (Arquibancada – pilotis ) – Praça Mauá, 5 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: dia 26/01 (sábado)
Horário: 16h às 18h

Clique em “Leia mais”, “Continue lendo” ou em “View full article” e saiba mais sobre Taísa Machado.

Continue lendo

| Repertório inclui sucessos dos Beatles e homenageia compositores brasileiros como Heitor Villa-Lobos |

Foto: reprodução Facebook Orquestra nas Escolas – OSJC

Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca se apresenta hoje, às 15hno Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá. Com programa variado, a apresentação vai da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, do compositor italiano Gioachino Rossini, a Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”. O repertório também inclui sucessos dos Beatles e homenageia importantes compositores clássicos brasileiros, como Heitor Villa-Lobos.

A orquestra é resultado do Programa de Educação Musical nas Escolas Municipais do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Educação. Fazem parte da OSJC mais de 150 estudantes da rede municipal de ensino (crianças e adolescentes). Os jovens músicos ensaiam na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, e na Escola Municipal Rivadávia Corrêa, no Centro da cidade.

 

Apresentação da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca
Local: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5, Centro – Rio de Janeiro – RJ
Data: dia 24/03 (sábado)
Horário: 15h

| Evento terá contação de histórias, oficinas, pintura corporal, música e *feira de artesanato indígena |
Foto externa do Museu de Arte do Rio

Foto: divulgação

O Museu de Arte do Rio promove atividades gratuitas em comemoração ao Dia das Crianças, 12 de outubro. O “MAR é lugar de criança” acontece das 10 às 18h. Em diálogo com a exposição “Dja Guata Porã | Rio de Janeiro Indígena”, o museu tona-se um território aberto à imaginação, à cultura do brincar e à experiência dos sentidos, trazendo vivências e práticas indígenas como contação de histórias, oficinas, pintura corporal, música e *feira de artesanato indígena voltada para o público infantil.

O MAR, localizado na Praça Mauá, tem entrada gratuita às terças-feiras.

Confira a programação: 

9h às 18h – Feira de artesanato indígena* – (não serão oferecidos produtos gratuitamente)
Ao longo de todo o dia o pilotis do museu recebe a feira de artesanato indígena voltada para o universo infantil.

11h – Contação de histórias, com Dauá Puri
Tecendo narrativas com lendas, fábulas, música e poesia, o poeta e professor Dauá da etnia Puri, conta a história de seu povo e sua cosmogonia através da relação com a natureza e os animas.

11h às 12h30 – Estação Sonora, com Potyra Krĩkati e José Urutau Guajajara.
Experimentação da linguagem sonora através de instrumentos e materiais do cotidiano do povo Tenetehara, conhecido pela literatura como Wazaizara (Guajajara), e Krĩkati, povos Timbira. A atividade é voltada para crianças de 6 meses à 06 anos de idade.

14h às 17h – Estação Pintura Corporal, com Estação de pintura corporal, com Pacarí Pataxó e José Urutau Guajajara
Das cores e texturas naturais a arte surge como expressão da vida, o corpo é o seu lugar, onde habitam os códigos e os grafismos indígenas. Venha pintar e ser pintado com os elementos da natureza.

14h às 16h30 – Oficina de Bonecos, com Carmel Puri
Nesta oficina as crianças aprendem a construir bonecos com materiais recicláveis, aventurando-se nas dimensões do imaginário através da criação de roteiros e do teatro de bonecos.
:: Atividade sujeita a lotação. Serão distribuídas 25 senhas 30 minutos antes do início da oficina.

15h às 16h – Contação de histórica multiétnica, com Contação de história multiétnica, com Carol Potiguara, Aline Puri e Arassari Pataxó
Muitas visões de mundo podem caber num mundo só, contar histórias é aprender e compartilhar. Carol Potiguara e Arassari Pataxó contam histórias indígenas e dos encantados da floresta.

15h – Oficina de Aromaterapia para Crianças, com Niara do Sol
Vamos criar cores e aromas potencializando a experiência olfativa, explorando novas combinações e usos dos elementos naturais com técnicas de massagens, exercícios de respiração e práticas de aplicação com óleos essenciais.
:: Atividade sujeita a lotação. Serão distribuídas 20 senhas 30 minutos antes do início da oficina.

17h – Rodinha de Maracá Multiétnica
Para finalizar as atividades do dia, a roda de maracá multiétnica celebra o dia das crianças evocando o espírito da animação e da alegria com ritmo, canto e dança.

MAR é lugar de criança
Local: Pilotis e Pavilhão de Exposições do Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, n° 5, Centro – Rio de Janeiro/RJ
Data: dia 12/10
Horário: 10 às 18h

| Evento faz parte do MAR à tona, programa criado para abrigar diferentes manifestações culturais da cidade |
foto do Museu de Arte do Rio - MAR

Foto: divulgação

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, será o palco da VI Conferência Funk, uma parceria entre o MAR e a Rio Parada Funk. Este evento faz parte do programa MAR à tona, criado para abrigar diferentes manifestações culturais da cidade, a fim de promover a diversidade cultural manifestada no Rio de Janeiro. A programação da primeira edição do MAR à tona acontecerá até o final do ano e terá, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, palestras e debates sobre as temáticas sociais, culturais e artísticas do funk, além de estratégias para o movimento, com o objetivo de desmitificar e propagar a cultura funk no país. Os temas desta edição serão: FUNKEIRXS, o mundo funk por elxs; A Criminalização do Funk; 150: A Batalha do BPM e Funk, arte e cultura além do Ritmo. Além dos debates, haverá uma batalha de barbeiros, na quinta-feira, e uma apresentação de passinho na entrada do museu, na sexta-feira.

Em setembro, o MAR à tona tratará dos usos do espaço público na cidade com indivíduos pertencentes a comunidade de refugiados e ativadores culturais que utilizam a rua para mostrar suas expressões. Já em outubro, o tema será sobre o papel da mulher em diferentes esferas da sociedade. Todas as manifestações terão atividades na sala de encontros e nos pilotis do Museu. O encerramento do programa de 2017 contará com uma ocupação em todo o MAR, em que diferentes grupos de cultura urbana – com estéticas e narrativas distintas – mostrarão seus trabalhos no dia 2 de dezembro – um sábado – no Museu.

“O MAR nasceu em um momento de transformação da cidade. Primeiro marco da nova transformação da zona portuária do Rio de Janeiro, o Museu é mais um símbolo da transformação da paisagem carioca. Então, o objetivo do MAR é estar aberto às mais diversas práticas culturais, sempre em diálogo com seus vizinhos – primordialmente através do programa Vizinhos do MAR – e com seu público, criando atividades para além do Pavilhão de Exposições, com uma programação cultural diversificada, assim mantemos a sua característica básica de ser um espaço de encontros, onde as artes visuais dialogam em igual patamar com a cultura visual da cidade”, explica  curadora da programação MAR à toa, Julia Baker.

Confira a programação abaixo:

Continue lendo

| Evento tem curadoria de Yamandu Costa e apresentação de Pedro Miranda |
Foto externa do MAR

Foto: reprodução site MAR

O projeto Choro da Gamboa chegou ao seu terceiro ano e terá dois dias de muita música. O evento, que tem a curadoria de Yamandu Costa e apresentação de Pedro Miranda, acontecerá nos dias 21 e 22 de julho, das 18h às 22h, no Museu de Arte do Rio – MAR, na Praça Mauá.

A festa terá participação de Luís Barcelos, Projeto Irineu de Almeida, Leo Gandelman, Arismar do Espírito Santo, Fábio Peron, Alexandre Ribeiro, Izaías e Seus Chorões, Silvério Pontes e do Choro na Rua.

Vale a pena lembrar que a entrada no museu é gratuita às terças-feiras.

 

Choro da Gamboa
Local: Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, n° 5 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
Datas: dias 21 e 22/07
Horário: 18h às 22h
Atrações musicais: Luís Barcelos, Projeto Irineu de Almeida, Leo Gandelman (dia 21/07);
Arismar do Espírito Santo, Fábio Peron, Alexandre Ribeiro, Izaías e Seus Chorões, Silvério Pontes e Choro na Rua (dia 22/07)

| Há oportunidades em cursos de ilustração, edição de vídeo, fotografia e tratamento de imagem e animação |
Foto/arte: reprodução internet

Foto/arte: reprodução internet

O Projeto Porto do Saber oferece diversos cursos de capacitação profissional no segmento audiovisual para jovens a partir dos 14 anos de idade. Há vagas em cursos de ilustração, edição de vídeo, fotografia e tratamento de imagem e animação.

A qualificação profissional é realizada nas dependências da Escola Padre Dr Francisco da Motta e Colégio Sonja Kill, no Morro da Conceição, atrás do Largo de São Francisco da Prainha e a poucos metros da revitalizada Praça Mauá, do Museu de Arte do Rio (MAR) e do Museu do Amanhã, no período da tarde, de segunda a sexta-feira, de acordo com cada curso, sempre das 13h às 17h. Além da capacitação profissional, os cursos também compreendem um trabalho focado no desenvolvimento humano dos participantes, o que inclui oficinas de mercado de trabalho e de cidadania que desenvolvem temas como direitos humanos, cidadania, ética e diversidade. Além disso, é criado um plano de desenvolvimento profissional com a ajuda de psicólogo e assistente social, para que os participantes possam começar a planejar sua carreira.

Mais de 60 jovens foram atendidos pelo projeto em 2015, que teve o número de vagas ampliado para este ano. Ao final do curso, os alunos com aproveitamento satisfatório recebem um certificado do Senai.

Os interessados devem entra em contato pelos telefones 0800 0231 231 (ligações gratuitas de telefone no estado do Rio) ou 4002 0231 (custo de ligação local). O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 7h às 21h, e nos fins de semana, das 8h às 14h. Os documentos que devem ser apresentados pelo participante são: certidão de nascimento, RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de escolaridade e duas fotos 3×4. Já o responsável deverá apresentar apenas RG e CPF. As vagas são limitadas.

Porto do Saber
O Projeto Porto do Saber é fruto da parceria entre a empresa Subsea 7 e a Gerência de Responsabilidade Social do Sistema FIRJAN. Ele nasceu do desejo da Subsea 7 em contribuir para o desenvolvimento e a inclusão social dos jovens da região portuária e, ao mesmo tempo, desenvolver suas habilidades sociais e competências profissionais na indústria criativa, que é a vocação natural da região.

Clique aqui e faça o download da tabela de cursos disponíveis.

Foto/arte: site Firjan

Foto/arte: site Firjan

Cursos na área de audiovisual no Projeto Porto do Saber
Local: Escola Padre Dr Francisco da Motta e Colégio Sonja Kill, Endereço – Beco João José, nº 02 ao 16 – Saúde – Rio de Janeiro/RJ – Morro da Conceição, atrás do Largo de São Francisco da Prainha – Tels: 21 2253-5651 / 2263-1181 / 2223-2376
Início das aulas: a partir do dia 21/06/2016, conforme calendário dos cursos

| Parceria do Rio Ônibus com instituições culturais contará com guias e apresentações exclusivas do Projeto Mobilidade Sonora e da Orquestra Violões do Forte Copacabana |
Foto/arte: Divulgação

Foto/arte: Divulgação

Passar um domingo aproveitando as atrações culturais mais concorridas da cidade com entradas e transporte gratuitos. Essa é a iniciativa do Rio Ônibus, através do Programa Circulando Cultura. O Circuito Cultural Rio Ônibus – Edição Rio 450, em comemoração aos 450 anos do Rio de Janeiro, levará cariocas e turistas aos principais museus do Centro da cidade e ao Theatro Municipal.

Nos domingos, dias 22 e 29 de março, o projeto vai levar o público em ônibus com ar condicionado e piso baixo, para facilitar o embarque e desembarque, e janelas grandes, permitindo que o passageiro aprecie a vista do Rio durante o passeio. Para receber os participantes do projeto, o Museu Histórico Nacional estará, excepcionalmente, aberto das 10h às 18h.

Entre atrações estão o MAR (Museu de Arte do Rio), CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), Museu Nacional de Belas Artes, MHN (Museu Histórico Nacional), Espaço Meu Porto Maravilha, IPN (Instituto Pretos Novos) e o Theatro Municipal. Em suas três edições anteriores, o Circuito Cultural Rio Ônibus realizou mais de 17 mil viagens a diversos pontos e instituições culturais da cidade.

Entre as atrações programadas para o dia 22 está a apresentação do Projeto Mobilidade Sonora, com orquestra Projeto Villa-Lobos e as crianças executando músicas de Villa-Lobos, às 11h, no CCBB. No domingo seguinte (29/03), o projeto se apresenta no Museu Histórico Nacional, às 11h.  Já na parte da tarde, o MHN recebe as orquestras Violões do Forte Copacabana e SindiRefeiçõesRJ, às 16h.

Entre as principais exposições que poderão ser conferidas estão Kandinsky (CCBB), Galeria de Arte Brasileira e Mostra Candido Portinari (MNBA), Do Valongo à Favela (MAR), Exposição Rio Bairros (MNH), Exposição “450 Maneiras de Amar o Rio” (Porto Maravilha), um pouco da história da escravidão no Brasil (IPN) e muitos outros. O Theatro Municipal distribuirá senhas para sua programação.

Os visitantes poderão embarcar e desembarcar em qualquer ponto do roteiro, permanecendo por quanto tempo desejarem em cada atração, que neste dia terão entradas gratuitas para suas principais exposições. Não é preciso inscrição prévia. O evento é aberto a todos. Haverá ainda saída a pé do MAR para o Porto, com guias.

Para guiar o circuito, haverá guias do curso de Turismo da Faetec nos ônibus e nas instituições. Os estudantes vão orientar os visitantes durante o passeio, com a distribuição de folhetos com o histórico e curiosidades de cada instituição, além das atrações específicas do evento.

Os ônibus, com ar-condicionado, farão o circuito parando em pontos que estarão sinalizados com placas com a identidade visual do evento, no período entre 10h e 18h. Os veículos tem piso baixo para facilitar a entrada e saída dos passageiros. O projeto orienta que os passageiros levem filtro solar, chapéu e água e façam sua programação organizando o seu tempo no circuito.

Serviço:

Dias 22 e 29 de maio, domingo

Atrações:
– Centro Cultural Banco do Brasil
– Museu de Arte do Rio (MAR)
– Museu Histórico Nacional
– Museu Nacional de Belas Artes
– Theatro Municipal
– Espaço Meu Porto Maravilha
– Instituto Pretos Novos

Horário: Das 10h às 18h (horário do último ônibus em cada instituição)
Frota: 6 veículos (5 rodando e 1 reserva)
Intervalo entre os carros: 10 minutos (ou menor, dependendo da demanda)
Tempo de Viagem: 40 minutos
Extensão: 8,720 Km

Mapa do Circuito

Mapa do Circuito

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Itinerário:

Vias e Ruas – Pontos de Parada
AVENIDA BARÃO DE TEFÉ – Porto Maravilha
RUA COELHO E CASTRO
RUA ARGEMIRO BULCÃO
AVENIDA VENEZUELA – MAR
PRAÇA MAUÁ
AVENIDA RIO BRANCO
RUA ARAÚJO PORTO ALEGRE, esquina Rua México, Theatro Municipal/MNBA
AVENIDA PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS
RUA Mal. AGUINALDO CAIADO DE CASTRO – MHN
AVENIDA ALFRED AGACHE
AVENIDA GENERAL JUSTO
AVENIDA MARECHAL CÂMARA
AVENIDA FRANKLIN ROOSEVELT
AVENIDA PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS
RUA PRIMEIRO DE MARÇO
PÇA PIO X – CCBB
RUA VISCONDE DE INHAÚMA
AVENIDA MARECHAL FLORIANO
RUA ACRE
PRAÇA MAUÁ
RUA SACADURA CABRAL
PRAÇA DA HARMONIA – Instituto Pretos Novos
RUA DO PROPÓSITO
RUA ANTÔNIO LAGE
AVENIDA VENEZUELA
AVENIDA BARÃO DE TEFE – Porto Maravilha

Foto: Divulgação site MAR

Foto: Divulgação site MAR

Com cerca de 400 obras em formatos variados, como fotografias, esculturas, pinturas, vídeos e artes gráficas, a mostra  “imagináRio” pretende ampliar a discussão em torno da construção social da paisagem carioca ao longo de quatro séculos, agregando trabalhos que apontam para uma contínua reflexão.

A exposição traz um olhar sobre o legado dos grupos étnicos que contribuíram para a formação do tecido social que povoou e deu diferentes contornos à paisagem do Rio de Janeiro, como a presença africana. Recorre a imagens para narrar uma história simbólica da cidade a partir do conceito de lugar de permanência em relação à chegada dos colonizadores europeus e escravos à cidade e a questões como: “Que imagens traziam em sua bagagem? Que imagens da cidade ajudaram a produzir? O que dessa construção se manteve, o que se ressignificou e o que se quis esquecer para dar lugar a outras representações?”

imagináRio” acontece até o dia  16/03/2014, no andar concebido como espaço permanente para exposições dedicadas ao Rio de Janeiro, no Museu de Arte do Rio – MAR. Às terças-feiras a entrada no museu é gratuita.

Exposição imagináRio
Local: Museu de Arte do Rio – MAR – Praça Mauá, 5 – Centro – Tel.: (21) 3031 2741
Período: Até 16/03/2014
Horário das exposições no MAR: Terças (Durante o verão, 10h às 19h /Quarta a domingo, 10h às 17h)
Ingressos: Geral – R$ 8,00 / Meia-entrada – R$ 4,00 (Pessoas com até 21 anos; Estudantes de escolas particulares (Ensino Fundamental e Médio); Estudantes universitários; Pessoas com deficiência; Servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro)
Gratuidade:
“Às terças-feiras, o MAR é gratuito para todos.”
Nos demais dias, gratuidade para: Alunos da rede pública de Ensino Fundamental e Médio, Crianças com até 5 anos de idade, Pessoas com idade a partir de 60 anos, Professores da rede pública de ensino, Funcionários de museus, Grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e Guias de turismo. Em todos os casos é necessário apresentar documentação como comprovante.

Foto/arte O Realismo Fantástico em Saramandaia

Foto/arte: divulgação

A escola literária que surgiu no início do século XX é considerada a resposta latino-americana à literatura fantástica européia. A corrente literária também é conhecida como realismo fantástico ou realismo maravilhoso, este utilizado na Espanha, principalmente. Uma das principais características dessa corrente é o encontro do universo mágico com a realidade, mostrar o irreal e o estranho como algo cotidiano e comum. Apresentar elementos mágicos de forma intuitiva, sem explicação também é uma de suas características. O movimento surgiu em um dos períodos mais conturbados da América Latina, os períodos ditatoriais entre as décadas de 1960 e 1970. Surge como uma forma de reação, utilizando o elemento mágico como reforço das palavras contrárias aos regimes daquela época. Um aspecto que também influenciou o realismo mágico foi a discrepância entre cultura da tecnologia e cultura da superstição que havia na época.

Entre seus principais representantes estão o colombiano Gabriel García Márquez, o peruano Manuel Scorza, os argentinos Julio Cortázar e Jorge Luis Borges, o venezuelano Arturo Uslar Pietri – considerado por muitos o pai do realismo mágico – , os brasileiros Murilo Rubião e José J. Veiga, Alejo Carpentier, de  Cuba, Miguel Angel Astúrias, da Guatemala, e o mexicano Carlos Fuentes.

Prestes a estrear a nova versão de Saramandaia, novela inspirada na obra original de Dias Gomes, o Globo Universidade promove o seminário “O Realismo Fantástico em Saramandaia“, uma série de encontros para discutir o universo da trama. O primeiro acontece no Museu de Arte do Rio (MAR). O evento, em parceria com a Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), reunirá acadêmicos, estudantes, artistas e profissionais como o autor Ricardo Linhares, a professora Beatriz Resende (Letras/UFRJ) e a professora Vera Lúcia Follain (Comunicação/PUC-Rio). O encontro será mediado pela jornalista Bianca Ramoneda, da Globo News.

Uma exposição sensorial promovida pela Globo e inspirada na nova versão da novela, que vai ao ar no dia 24 de junho, também acontecerá no MAR. A “Mostra Saramandaia”, com peças interativas baseadas nas características fantásticas dos personagens da trama, é aberta ao público e terá curta temporada, com exibições entre os dias 18 e 21 de junho.

Seminário O Realismo Fantástico em Saramandaia
Local: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5, Centro
Tel.: (21) 2203 1235
Data: 21 de junho – das 14:30h às 16:30h

*Programação:
14h às 14h30 – Café de boas vindas e credenciamento
14h30 às 14h50 – Mesa de Abertura
14h50 às 16h30 – Apresentações dos palestrantes e debate

 

%d blogueiros gostam disto: